O Castelo de Windsor foi construído no século XI, pelo rei William, O Conquistador. Ele é uma das residências oficiais da realeza britânica, além de maior, é o castelo habitado mais antigo da Europa. Em 2018, você provavelmente ouviu falar muito sobre o Castelo de Windsor, pois lá se casou Príncipe Harry com a atriz norte-americana Meghan Markle, no dia 19 de maio.

No entanto, pouca gente sabe que em 1992, o Castelo quase foi totalmente destruído por um incêndio de grandes proporções que teve como causa provável um curto circuito.

"Surpresa" e "Horror" foi essa a reação do filho da rainha Elizabeth II quando a mesma, que não estava presente no momento, quando soube do ocorrido.

Grandes obras de arte de valor inestimável e de pintores renomados como Rembrandt, Rubens, Van Dyck e Canaletto foram retiradas apressadamente e amontoadas no pátio com ajuda de Andrew, o duque de York, o único membro da família real presente no castelo no momento do incidente.

A ala do Castelo de Windsor, onde o fogo começou, estava sendo reformada e a parte elétrica estava totamente exposta, isso explica o fato de o incêndio não ter feito vítimas.

Andrew ligou pessoalmente à rainha para explicar a extensão do incêndio. Isabel II foi imediatamente para o castelo e permaneceu por uma hora no pátio central do recinto. A rainha, como era de se esperar, não fez declarações, mas Andrew disse que sua mãe estava "muito impressionada e muito triste, desolada".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Ciência

Sabe-se que a rainha tem grande apreço pelo Castelo que é considerado seu favorito.

Após cessado completamente o fogo e os danos calculados por especialistas, surgiram uma série de debates A sobre quem deveria pagar pelos reparos e de que forma eles deveriam ser feitos.

A ácida imprensa britânica defendera na época que a própria rainha deveria pagar de os custos do reparo com sua renda particular.

No entanto, após algum debate, uma solução diferente fora encontrada: a restauração seria paga com o dinheiro dos ingressos do Palácio de Buckingham que passaria a ser aberto ao público em períodos específicos do ano e pela aumento nas tarifas para acesso do público às áreas de parque ao redor de Windsor que não foram atingidas pelo incêndio e que o fluxo de vistantes não atrapalharia o trabalho dos profissionais responsáveis pelo restauro.

O programa de restauração foi completado apenas em 1997, ou seja 5 anos após o incêndio, com um custo bastante elevado, algo em torno 37 milhões de libras na época (50,2 milhões de libras em valores de 2009).

O que ver no Castelo de Windsor na Inglaterra

  • Mudança de Guarda – acontece diariamente, às 11 horas da manhã, de Abril até ao fim de Julho (dias alternados no resto do ano, se o tempo o permitir e exceto aos domingos).
  • Aposentos reais – decorados com algumas das mais valiosas obras de arte da Coleção Real, incluindo pinturas de Rembrandt, Rubens, Canalleto e Gainsborough.
  • Capela de São Jorge – sepulcro de dez reis ingleses.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo