Essas Eleições talvez sejam umas das mais polarizadas da história do Brasil República. Com a facada que Bolsonaro levou [VIDEO], a dualidade de posicionamentos fica ainda mais evidente. Mas diante desse contexto, em que todos querem opinar sobre os acontecimentos políticos, fica a questão: vocês sabem quais cargos políticos devemos votar nessas eleições, além do candidato à presidência, e suas respectivas funções?

O presidente do Brasil, sem dúvida, é a estrela maior desse cenário competitivo e acirrado em que se encontram as eleições 2018.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Entretanto, o que observa-se nas conversas de amigos, dos familiares ou mesmo nas redes sociais é uma falta de conhecimento básico sobre política, como saber não só a função do chefe de Estado (presidente), como também dos demais candidatos aos outros cargos.

De acordo com a atual legislação vigente, o eleitor deverá votar para as seguintes funções: Deputado federal, deputado estadual e distrital, senador primeira vaga, senador segunda vaga, governador e presidente da República. Mas afinal de contas, quais são as responsabilidades de cada um dos cargos?

Deputado Federal

Na sua campanha eleitoral, Tiririca dizia não saber o que faz um deputado federal e acabou sendo recorde de votos em 2014. Fica evidente, que ele não era o único a não saber. É, segundo a Constituição Federal, função dos deputados federais criar leis que abrangem a esfera nacional, além da fiscalização das medidas tomadas pelo presidente da República. Também podem apresentar projetos de leis ordinárias e complementares, de decreto legislativo, de resolução e emendas à Constituição, além de criar Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), discutir e votar medidas provisórias editadas pelo Executivo.

Deputado estadual ou distrital

O encargo dos deputados estaduais ou distritais é representar o povo na esfera estadual (na Assembleia Legislativa) ou distrital (na Câmara Legislativa do Distrito Federal). Sua função principal é a de legislador, ou seja, legislar, sugerir, criar emendas, alterar e revogar leis estaduais. Além disso, eles também fiscalizam as contas do Poder Executivo. Como se tratam de funções de cada sub-região do país, onde cada constituição estadual ou distrital tem suas normas legislativas, os deputados estaduais ou distritais também podem delegar outras atividades específicas de cada região.

Senador

Semelhante aos deputados federais, estaduais e distritais, é, também, função dos senadores criar e fiscalizar não só leis, como também o poder executivo. Além disso, cabe aos senadores processar e julgar os crimes de responsabilidade do presidente, vice-presidente, os ministros e os comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, os ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional do Ministério Público e do Conselho Nacional de Justiça, o advogado-geral da União e o procurador-geral da República.

Um exemplo prático foi o impeachment da ex presidente Dilma Rousseff [VIDEO], votado pelos 61 senadores favoráveis contra os 20 contrários, no plenário do Senado.

Governador

O Governador é o chefe do poder executivo a nível estadual e distrital. Suas funções, dentre outras, é de nomear os seus secretários que auxiliam na administração de demandas dessas sub-regiões do país, como, por exemplo: Secretário da saúde, educação, segurança, fazenda, agricultura, etc. Nomeia também o comandante-geral da polícia militar e civil, dos quais são subordinados ao poder do governador.

Presidente da República

Diferentemente do que muitos acreditam, diante do exposto até aqui, fica evidente que o presidente não é sempre o responsável por tomar medidas mais eloquentes na República Federativa do Brasil. Contudo, o presidente da República, ocupa o cargo máximo do poder executivo. Tendo a incumbência de administrar os interesses públicos no âmbito da União. Não obstante, o chefe de estado se encarrega também de apresentar plano de Governo com programas sociais, projeto de lei orçamentária, exerce, ainda de acordo com a constituição, atribuições administrativas, legislativas e militares.

Compete ao presidente nomear os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado-geral da União, dos tribunais superiores, bem como conceder indulto e comutar penas.

Enquanto no poder legislativo, o presidente pode promulgar, sancionar, publicar leis e expedir decretos.

Já no poder militar, é de sua incumbência declarar guerra ou paz, findando manter a ordem, caso necessário. Dependendo de autorização do Congresso.

O presidente do Brasil, por fim, é responsável pelos tratados e acordos internacionais, também ficando exposto a referendo do Congresso Nacional.