Vindo do latin fulgur, "raio" e podendo ser referidos como relâmpagos petrificados, fulguritos são tubos naturais, aglomerados, ou massas de solo sinterizado, vitrificado e/ou fundido com areia, rocha, detritos orgânicos e outros sedimentos que podem se formar quando raios descarregam no solo.

Formação

Eles são formados quando um raio atinge o solo [VIDEO], fundindo e vitrificando grãos minerais. As temperaturas de pico dentro de um canal de raio são conhecidas por exceder 30.000ºC, com pressão suficiente para produzir características planas de deformação, ou "lamelas de choque" em SiO₂.

Classificação

Foram classificados por Pasek S, et al. em 2006, em cinco tipos relacionados ao tipo de sedimento em que o fulgurito se formou, como segue:

  • Tipo I - Fulguritos de areia com estrutura tubária;
  • Tipo II - Fulguritos de solo; ricos em vidro, em uma ampla gama de composições de sedimento, incluindo solos ricos em argila e cascalho;
  • Tipo III - Fulguritos formados dos resistentes sedimentos de caliche e cálcica, ricos em cálcio;
  • Tipo IV - Fulguritos rochosos, formados por crostas de pedras ou material de rocha completamente vitrificado e denso; é pouco sedimentar;
  • Tipo F [Fulgurito] - Fulguritos com evidências esferoidal, botrioidal, filamentosa e aerodinâmica; relacionadas pelas composições do Tipo II e Tipo IV.

Ótimo indicador paleoambiental

A presença de Fulguritos em uma área pode ser usada para prever a prevalência de raios sobre a área específica durante um certo período de tempo, o que, por sua vez, pode ajudar na compreensão dos climas passados, no estudo do Paleolightning (Estudo da atividade do raio ao longo da história da Terra).

Por exemplo, o fato de que os fulguritos são abundantes no deserto do Saara, onde a atividade das tempestades é muito rara, demonstra que as tempestades eram muito frequentes naquela região.

Além disso, muitas observações foram feitas em fulguritos de materiais de alta pressão e temperatura, mais comumente considerados como exclusivos de fontes meteoríticas, produtos de impactos de asteroides, explosões de ar de cometas ou poeira cósmica. Tais materiais, como um conjunto, antigamente considerados exclusivos de impactos de hipervelocidade, hoje são identificados como fulguritos.

Na cultura material

Além de populares entre os amadores e colecionadores de espécimes naturais, os Fulguritos são apreciados por muitos por seu valor como evidência tangível da queda de raios. Um fulgurito foi encontrado dentro do conteúdo do altar de cinzas no templo de Zeus Lykaios [VIDEO] no Monte Lykaion, na Grécia.

Pode estar associado à atividade ritual realizada ali.