5 filmes para entender a mente humana

O cinema como divã: um meio para sinalizar as possibilidades da condição humana

Veja o vídeo da notícia
Não perca nossa página no Facebook!
Curta a página da Blasting News no Facebook: vamos te manter atualizado com todas as últimas notícias.
Publicidade

Para entender a mente humana, de fato, apenas livros podem ajudar a desvendar as questões mais complexas, questões estas desenvolvidas por Viktor Frankl, Freud, Jung, Szondi e entre outros. Contudo, o Cinema possui o poder de fazer refletir e, de maneira intuitiva, capturar nuances psicológicas que posteriormente servirão de base ao estudo propriamente dito.

O cinema e a psicologia sempre se comungaram a fim de desenvolverem exemplos e mais exemplos do que as diversas teorias querem dizer, desde a psicologia comportamental de Stanley Milgram até a psicanálise de Freud.

Kubrick e Jung

Kubrick é um dos exemplos mais corriqueiros ao se tratar dos dois temas. Kubrick apresenta um universo cinematográfico rico em misticismo, conhecimento esotérico, sociedades secretas e, acima de tudo, comportamentos psicológicos que pode lembrar a obra de Jung, não apenas referente à teoria dos arquétipos do conhecido psicólogo, mas também à exposição do conceito de duplo, presente em outras diversas obras do meio ficcional ao longo da história. Em Nascido para Matar mostra-se uma cena específica onde a protagonista remete o espectador à dualidade do que está escrito em seu capacete (nascido para matar) em contraponto com o broche simbolizando a paz em seu peito (Esse seria apenas um exemplo dentre tantos simbolizando o conceito do duplo, conceitos que acabam por resultar em um processo dialético na mente do espectador).

1

O Enigma de Kaspar Hauser

Baseado em uma história real, Gaspar mostra uma mistura de filosofia e psicologia, pois se por um lado mostra-se muito de Stanley Milgram e sua teoria da obediência à autoridade, por outro pode-se enxergar o absurdismo de Camus onde a consciência produz o sofrimento.

Publicidade
Publicidade
2

Sybil (O de 1976)

Um caso para Freud e sua psicanálise. O que produz o inconsciente? A personalidade nem sempre é una.

Publicidade
Publicidade
Leia tudo
Publicidade
Publicidade