7 reações do corpo quando estamos apaixonados

A paixão vem desde as primeiras civilizações, sendo assunto para escritos, pesquisas e muitos feitos artísticos que nos inspiram até os dias de hoje

A paixão é o sentimento mais intenso e complexo de se lidar, mas também é o sentimento que foi influência para muitas obras artísticas em músicas, filmes, livros e rende, até hoje muitas pesquisas na área cientifica. É caracterizado por ficarmos com as mãos transpirando, as pernas tremulas, aquela sensação de “borboletas” no estômago, além de um forte desejo pela pessoa, falta de apetite, euforia e ansiedade. Tudo isso que sentimos é uma consequência direta das alterações drásticas de nossos neurotransmissores e hormônios que se elevam de forma significativa enquanto estamos neste período de intensidade amorosa.

Eis algumas características físicas e emocionais nas quais podemos ver claramente como ficam pessoas sob este estado e que comprovam a atividade destes neurotransmissores em nosso cérebro e toda sua influência em nossa fisionomia e sentimentos.

1

A paixão como um vício

As paixões nos trazem uma sensação de prazer por estarem responsáveis por uma onda de dopamina nos circuitos cerebrais de recompensa. Estes circuitos ficam em uma área do cérebro próxima aos nossos olhos e é ativada sempre que recebemos alguma recompensa, realizamos alguma necessidade vital (beber, comer, dormir) e nas paixões não seria diferente.

2

Mais emoção, menos razão

Testes de ressonância magnética foram feitos em estudantes apaixonadas para serem medidos ali os seus níveis de oxigênio em cada área do cérebro. Em relação entre o sentimento de emoção, prazer e satisfação, momentos iniciais de paixão dão a estas áreas um trabalho mais que o normal, enquanto na área do córtex pré-frontal, responsável pelo censo de julgamento, raciocínio e razão aparentam total inatividade nestes momentos.

3

Olhos sempre atentos

Quando estamos sob estado de paixão mantemos nossos olhos sempre em direção à pessoa amada, de forma involuntária. Algo de nossa própria natureza, como seres humanos, sermos adeptos ao contato visual.

4

Sentimento de família

A causa já é comprovada cientificamente, acontece com o aumento significativo dos hormônios da ocitocina e vasopressina, que são os mesmos que são liberados durante uma amamentação, durante um parto, e na paixão estes mesmos hormônios são liberados e servem para que as relações se tornem mais fortes e os laços da relação perdurem por mais tempo. Seria como um ponto de partida ao nosso ponto de vista evolutivo.

5

Mudanças no corpo

São mudanças características dos estados iniciais da paixão: Mudança nos lábios pela maior circulação dos vasos sanguíneos que os deixam mais dilatados e rosados, e o rosto ganha um aspecto mais corado. - O nosso coração bate até 150 vezes por minuto quando estamos com a pessoa e a sua voz soa como mais sedutora e excitante. - Nosso organismo fica mais quente que o normal, então o corpo começa a transpirar como uma reação para diminuir a temperatura corporal.

6

Não sai do pensamento

Caracterizado como pensamento intrusivo, é o aumento neuronal consequente destes estágios de amor que eleva os níveis de dopamina, que faz com que pensemos na pessoa amada por mais de 85% do nosso dia, chegando a se tornar uma obsessão, geralmente comparado a casos de transtorno obsessivo-compulsivo.

7

Por quanto tempo dura uma paixão?

Comprovado cientificamente que uma paixão pode durar de 12 a 48 meses, um tempo necessário para que se fortaleçam os laços amorosos e que fiquem juntos por muito mais tempo. Nestes meses é onde os níveis de dopamina começam a diminuir e o nível de oxitocina fica mais elevado, então nos dando uma sensação maior de apego e menor de desejo.

Clique para ler mais e assistir ao vídeo
Ou então