5 tradições natalinas que não são originalmente cristãs

Os 3 reis magos. Imagem: Reprodução/Internet
Os 3 reis magos. Imagem: Reprodução/Internet

O nascimento de Jesus não teria sido em 25 de dezembro, mas a data já era bem conhecida como período festivo, muito antes da Era Cristã.

O Natal é a data em que comemoramos o nascimento de Jesus Cristo. Mas, muito antes da era cristã, outros povos já se reuniam nessa mesma data para cear, trocar presentes e celebrar em família. Outros deuses, como Mitra ou Hórus, eram celebrados nesta mesma época, por conta do Solstício de Inverno, até o imperador romano Constantino determinar que se tornaria um marco cristão. A data 25 de dezembro simboliza o nascimento de Jesus, mas estudos comprovam que a data é improvável, pois seria impossível sobreviver numa gruta com animais no inverno daquela época. Jesus teria nascido entre Março e Novembro. A data foi absorvida graças a Constantino, que abraçou o cristianismo e converteu naturalmente as antigas tradições pagãs por novos dogmas cristãos.

1

25 de dezembro, mas comemoramos as vésperas

Entre 21 e 22 de dezembro é o solstício de inverno no hemisfério Norte, a noite mais longa do ano. Nesta data as noites encurtavam e a neve começava a derreter, o clima caminhava para a primavera. Para os povos antigos era a vitória do sol contra a escuridão. Os romanos chamavam de Saturnália. Era costume se fantasiar e trocar presentes em 25 de Dezembro, durante a festa solar de Roma. Com o Cristianismo, Constantino converteu o Dia do Nascimento do Sol Invicto na data de nascimento de Jesus.

2

Os 3 Reis Magos e a Estrela de Belém

Os 3 Reis Magos do Oriente, Gaspar, Baltazar e Belchior, seriam membros do zoroastrismo e os primeiros a reconhecerem Jesus como descendente da linhagem de Belém. É possível que a estrela fosse o fenômeno astrológico do cometa Halley de passagem pela Terra, visto a olho nu.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo