A greve dos professores no Estado do Paraná se tornou em palco de guerra entre policiais militares e manifestantes. Um repórter cinegrafista da Band que estava filmando e registrando o acontecimento foi surpreendido com o ataque e mordida de um cachorro da raça pitbull guiado por um policial militar, na frente das câmeras. A confusão começou por volta das 15h. A greve surgiu como forma de resistência à votação na ALeP contra desmonte de previdência.

Perto de 150 pessoas feridas no protesto da tarde de quarta-feira (29). Ao final do distúrbio, o governador do Estado, Beto Richa (PSDB), concedeu entrevista coletiva à imprensa e em um trecho disse: "Ninguém pode ser hipócrita de dizer que as cenas não são lamentáveis, mas os policiais ficaram parados", em outro momento do discurso, finalizou: 'Temos imagens que mostram pessoas infiltradas que não são do movimento dos professores, que radicalizam, criam arruaças, promovem o confronto, criam a baderna a depredação do patrimônio público e essas pessoas estão presas".

A Ordem dos Advogados do Brasil, seção Paraná (OAB - PR), emitiu nota condenando o uso de violência pela polícia Militar em confronto com os professores no Centro Cívico. E exigiu do Ministério Público a imediata apuração das responsabilidades sobre esses lamentáveis episódios, e faz um pungente apelo para que a sessão da Assembléia Legislativa seja imediatamente suspensa, como forma de serenar os ânimos e em nome da democracia.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Educação

A ALeP (Assembléia Legislativa do Paraná) aprovou por 31 votos contra 20 votos a PL 252, que altera a previdência dos servidores estaduais. O projeto de lei propõe que 33.556 beneficiários com 73 anos ou mais, que recebem do Tesouro Estadual, passem a ser pagos pelo fundo Previdenciário, constituído a partir de contribuições dos servidores. Projeto de mudanças proposto pelo Governo do Estado do Paraná.

Servidores Militares que se recusaram a jogar bombas de gás, de pimenta e atirar com balas de borracha nos professores e estudantes, segundo revelou-se ao Paraná Portal, agência de notícia local, estes policiais militares em número de 50, serão exonerados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo