Nesta terça-feira, 12, a Caixa Econômica Federal orientou suas redes de agências e correspondentes bancários a suspender todos os novos pedidos de financiamentos imobiliários com recursos da caderneta de poupança, pois houve um recorde de saques, reduzindo o poder desta linha de crédito.

Estima-se que nos últimos meses no Brasil, aproximadamente R$ 8,9 bilhões foram retirados da poupança, um recorde no país que o banco não esperava.

No começo do ano, devido ao momento de crise, muitas pessoas ficaram com medo de terem seus recursos bloqueados ou suspensos, realizando, com isso, os saques para maior segurança de suas rendas.

A maior parte das contratações da carteira de crédito habitacional da CEF vem de recursos das poupanças. O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), com a sua suspensão, afetará o mercado imobiliário que estava em uma crescente até no final de 2014, afetando diretamente a construção civil, corretores de imóveis e empresários parceiros, com seus correspondentes bancários que são remunerados a partir da conclusão das operações de crédito.

Com as novas barreiras e concessões de crédito, pouco será o ganho do mesmo. Esta situação também afetará um grande número de Negócios, que serão ofertados nos próximos feirões da casa própria que ainda vem acontecendo no país.

Essas informações foram repassadas para a mídia por fontes do banco e do setor da construção civil, e confirmadas após comunicar todas às agências do país. Segundo funcionários e correspondentes bancários, o foco da CEF será em financiamentos com recursos do FGTS.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Negócios

Eles afirmam que o programa 'Minha Casa Minha Vida', ainda está liberado e não faltam recursos do governo para o financiamento de casas populares.

A crise afetou bastante o mercado imobiliário, só neste ano os juros tiveram aumento duas vezes, depois houve a redução do financiamento de imóveis usados para 50%. Muita coisa poderá mudar ao longo do caminhar desta crise na qual se encontra o Brasil.

Especialistas esperam que o país encontre um caminho rumo ao fim desta atual situação.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo