A caderneta de poupança já liberou R$ 29,08 bilhões em recursos nos quatros primeiros meses de 2015. Pelo quarto mês consecutivo, as saídas líquidas superaram os depósitos nessa modalidade de investimento. Segundo o G1, o Banco Central divulgou os dados nesta quinta-feira (7) e apontou o pior resultado para um mês de abril, com uma retirada líquida de R$ 5,58 bilhões. Em março, também houve a maior retirada do país para todos os meses, totalizando R$ 11,43 bilhões. A série histórica do Banco Central iniciou-se em janeiro de 1995.

O valor líquido retirado nos quatros primeiros meses de 2015 é maior do que o registrado em todos os anos da série do Banco Central.

Até o momento atual, o pior resultado havia ocorrido em 2003, quando se registrou uma saída líquida de R$ 10,4 bilhões. O valor acumulado entre janeiro e abril desse ano já superou a quantia total de recursos depositados em 2014, equivalentes a R$ 24,03 bilhões. No fim do ano passado, os recursos na caderneta de poupança somavam R$ 662,7 bilhões. Em abril de 2015, já havia recuado para R$ 648 bilhões.

De acordo com o G1, a evasão de recursos da poupança ocorre durante uma situação econômica fragilizada. O país sofre o aumento da inflação, dos impostos e dos juros, o que também resulta no endividamento das famílias brasileiras. Os juros básicos fixados pelo Banco Central atingiram a maior marca desde 2009, enquanto as taxas bancárias aumentaram pelo terceiro mês consecutivo em março. Segundo informações do IBGE, a inflação oficial prevista ficou em 1,07% em abril, o maior índice para o mês de abril desde 2004.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política

Nos últimos tempos, poupança perdeu atratividade em relação a outras modalidades de investimento. O rendimento dos fundos de renda fixa aumenta junto à Selic - índice pelo qual se delimitam as taxas bancárias de juros. Quando a taxa supera 8,5%, o rendimento das cadernetas limita-se a 6,17% ao ano, mais a variação da Taxa Referencial (TR). Apesar da baixa rentabilidade, especialistas afirmam que a caderneta de poupança pode ser uma opção de investimento interessante em alguns casos.
Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo