A proposta do Governo anunciada nesta segunda-feira (14) não agradou em nada os brasileiros, que não querem a volta da CPMF - Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeria. De acordo com o Governo, é preciso voltar com este imposto que teria uma alíquota de 0,2% e seria temporário, arrecadando contribuições de pessoas físicas e jurídicas.

Empronunciamento, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que a CPMF seria mantida no máximo por 4 anos, sendo este período necessário para que o Governo colocasse a "casa" em ordem e o país pudesse sair da crise.

Só no ano de 2016, seriam arrecadados mais de R$ 32 bilhões, se o imposto for aprovado ainda este ano. Ainda de acordo com o ministro Levy, todo o dinheiro será empregado no pagamento das aposentadorias da Previdência Social e ele ainda garantiu que este seria o imposto com menor impacto para o país e que garantirá uma melhor distribuição para toda a população.

O Governo Federal adotou várias medidas para contenção de gastos e aumento da arrecadação, todas elas foram anunciadas na tarde da última segunda-feira (14).

É uma forma de tentar equilibrar as contas públicas e ainda fazer uma economia para conseguir pagar os juros da dívida. A previsão é de que mais de R$ 26 bilhões sejam cortados e a arrecadação aumente em até R$ 29 bilhões.

Para que a CPMF seja criada, o Governo está preparando uma PEC, uma emenda à Constituição brasileira. O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que esteve no pronunciamento ao lado de Joaquim Levy, explicou que desde 2004 o Brasil vem registrando um aumento no déficit da Previdência, que em 2016 chegará a R$ 117 bilhões, e algo precisa começar a ser feito antes que a situação se agrave ainda mais.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política

Dilma Rousseff vem enfrentando uma crise econômica, com forte recessão, inflação crescente e ainda tem a crise Política. Para muitos, a volta da CPMF é o retrato da falta de competência do Governo para lidar com os problemas do país.

Nas redes sociais, a volta do imposto vem sendo duramente criticada e o desejo de que realize o impeachment da presidente vem ganhando cada vez mais força, pois os brasileiros e empresas de todos os setores já não aguentam tantos impostos e tem ainda o agravante de que o dinheiro arrecadado é mal distribuído e boa parte é desviada através da corrupção que assola o Brasil.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo