A intensa 'campanha' realizada pela grande mídia do país contra o reajuste bilionário, que resulta em um aumento que sequer repõe as perdas inflacionárias em 5%, começou a surtir efeito. O Servidor Federal corre o risco de perder seu aumento, após um advogado ingressar com uma ação popular solicitando o cancelamento do reajuste.

Carlos Alexandre Klomfahs foi o advogado que entrou com uma ação popular, no Tribunal de Justiça de São Paulo, solicitando a suspensão do reajuste. Os acordos salariais foram resultado de uma longa negociação que amenizaria as perdas e a falta de reposição salarial do servidor federal.

O caso será apreciado pela Justiça Federal, que também faz parte do funcionalismo e que, igualmente aos demais servidores federais, aguarda o posicionamento do Senado e a assinatura de Michel Temer para conseguirem o cumprimento de seus acordos firmados em 2015.

Ao todo foram celebrados mais de 14 acordos de reajustes salariais, todos já aprovados pela Câmara dos Deputados e que já seguiram para o Senado. O ex-ministro e homem de confiança do governo Temer, Romero Jucá, já havia sinalizado que o Governo Federal pretende cumprir os acordos de reajustes salariais firmados na gestão de Dilma Rousseff.

Em sua ação, o advogado Carlos Alexandre cita a #Crise econômica na tentativa de convencer o Poder Judiciário a vetar o reajuste ao servidor federal. Em suas palavras, Alexandre afirma não ser razoável que, dado a situação econômica que o país atravessa, seja possível conceder o "aumento de despesa", mesmo que ela se encontre prevista no Orçamento.

Caso a ação popular tenha êxito em seu pleito, todos os servidores públicos federais serão afetados, inclusive os magistrados do Supremo Tribunal Federal.

Os melhores vídeos do dia

Cujo montante do reajuste chega a quase R$5 mil.

Ao todo, os acordos salariais celebrados pela União e as categorias representantes dos servidores federais, causarão impacto de aproximadamente R$ 14,9 bilhões (Executivo), 14 bilhões (Forças Armadas) e 320 milhões (servidores do TCU). Os projetos de reajuste para os servidores da Câmara e do Senado não fazem parte deste montante.