Na última quarta (21), o estaleiro de Jurong Aracruz recebeu em seu porto o casco da P-68, que é uma unidade offshore arrendada pela Petrobras. Antes, esse casco estava no Rio Grande do Sul e acabou vindo para o Espírito Santo para a montagem de equipamentos e periféricos de produção.

Com a crise desses últimos dos anos, o ES vêm sofrendo muito no setor de metalurgia, naval e petróleo. O estado agora está um pouco aliviado, já que as atividades de montagens da P-68 movimentarão a Economia do Espirito Santo o EJA, não ganha mais concessões de montagem para outras unidades.

Na verdade, com o estaleiro ainda em atividades operacionais no ES, garantirá a continuidade de empregos na região, que por causa da crise, a baixa no preço do barril do óleo cru e as denúncias de corrupção na Petrobras, fizeram o EJA sofrer muito e consequentemente reduzir as operações no estaleiro.

Tomando como exemplo os estados de Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro, que vem sofrendo as mesmas dificuldades na industria naval, que por conta do cancelamento de projetos da Petrobras passam as mesmas dificuldades, inclusive demitindo e pedidos de recuperação judicial, essa noticia é ótima do ponto de vista de profissionais e especialistas do ramo.

A empresa Ecovix localizada no Rio Grande do Sul é quem estava de posse desse casco, mas como houve demissão de cerca de 3 mil e duzentos trabalhadores por conta de uma dívida de 8 bilhões de reais, a montagem dessa unidade acabou vindo para o ES.

O presidente da Sindmetal-ES disse que a chegada da P-68 na EJA traz otimismo e alívio, caso contrário, as atividades em Jurong estariam comprometidas e provavelmente aconteceria aqui, o que vem acontecendo em outros lugares, devido a BR não está cumprindo as normas de conteúdo local desde que a crise chegou ao seu ápice.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política

Durval Freitas, executivo da DVF, diz que Jurong recebeu a somatória de investimentos que chegam a 1,5 bilhão de reais, e que não seria nada produtivo se esses investimentos estivessem parados, sem giro de capital. Ele ainda endossou que a montagem da P-68 aqui vai gerar demanda dos fornecedores e estimulará a economia local.

A P-68 na verdade é um FPSO que irá ser operado na produção do pré-sal na Bacia de Santos.

Sua capacidade produtiva pode chegar a 150 barris diariamente.

De fato, esse trâmite de transferência do casco da P-68 do RS para o ES é tratado já faz alguns meses, tanto que os módulos de montagem já estavam sendo confeccionadas onshore, antes da saída dela no Rio Grande do Sul.

O casco mede duzentos e oitenta e oito metros de comprimento, cinquenta e quatro de largura e trinta e um metros de altura e pesa trezentos e cinquenta e três mil toneladas.

Acesse o site oficial da empresa em https://site.vagas.com.br/PagEmpr.asp?e=jurong e tente se candidatar a umas das vagas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo