Com a medida do governo anunciada em dezembro último, que autoriza o saque de contas inativas do FGTS para pagamento de dívidas, seguindo um calendário a ser estabelecido, alguns bancos estão pretendendo oferecer a antecipação do valor para os correntistas, mas com cobrança de juros.

A liberação do FGTS pelo governo deverá ter início em fevereiro para o saldo de contas inativas até dezembro de 2015

São consideradas contas inativas do FGTS aquelas em que o trabalhador deixou de receber os depósitos do empregador devido a extinção ou rescisão do contrato de trabalho.

Antes dessa medida, só era possível sacar esse Dinheiro por ocasião da aposentadoria, na compra da casa própria ou ao completar três anos sem carteira assinada.

Contudo, antes de mais nada, é preciso avaliar com cautela quais serão as propostas dos bancos - caso sejam efetivadas pelo Banco do Brasil - e os benefícios das mesmas para cada caso dos contribuintes, considerando o valor a ser recebido, o montante e a urgência da necessidade do dinheiro, o tipo da dívida (cheque especial, cartão de crédito, pagamento de impostos etc.).

Dependendo da situação, os juros envolvidos podem ou não valer a pena.

A estimativa do governo é de que aproximadamente 10,2 milhões de trabalhadores estarão habilitados a sacar algum dinheiro. Isso implica em cerca de R$ 30 bilhões de injeção na economia nesse momento crítico de crise, ajudando muitas pessoas a saírem da inadimplência. As informações sobre a disponibilidade do saldo podem ser obtidas no site da Caixa ou do FGTS, ou através de aplicativo para dispositivos móveis, sem necessidade de correria às agências da Caixa Econômica.

O calendário para os saques será divulgado em fevereiro e terá por base a data de nascimento do trabalhador

Quanto à antecipação do valor do saldo como linha de crédito oferecida pelos bancos, é preciso realmente avaliar a relação entre custo e benefício. Em alguns casos, as propostas de parcelamentos já em prática pelos financiadores são mais vantajosas.

O Banco Santander, por exemplo, está oferecendo uma opção do benefício aos correntistas com crédito pré-aprovado que tem juros mensais variando de 2,59% a 4,59%, enquanto que as demais linhas de crédito pessoal na instituição apresentam juros que variam de 1,99% a 7,99% ao mês.

A proposta é liberar o saldo do FGTS na conta corrente em até 24 horas, sendo que o pagamento deverá ser feito em parcela única, na data da liberação do saldo pelo governo.

É preciso ver se vale a pena.

Não perca a nossa página no Facebook!