O Tesouro Direto continuou sua trajetória de sucesso em 2016. Além de bater recordes de inscritos no ano passado, chegando a mais de um milhão de investidores, o programa fechou o ano com um saldo total de R$ 41,1 bilhões.

Segundo dados oficiais da Secretaria do Tesouro Nacional divulgados na terça-feira (24), o crescimento em relação ao mês anterior foi de 3,7%. Mas o comparativo anual foi mais impressionante: foram cerca de R$ 25 bilhões a mais desde dezembro de 2015, indicando aumento de 60,5% de um ano para o outro.

No último mês de 2016, o número de investidores ativos, isto é, que efetivamente têm aplicações no programa, somou mais de 401 mil.

No compilado dos últimos doze meses, foram 71,8% de alta.

Outro valor que superou as expectativas foi a quantidade de operações de investimento realizadas. Em dezembro do ano passado, foram feitas 187.270 operações no Tesouro Direto, significando o maior número verificado em apenas um mês desde o início do programa.

Perspectivas em 2017

De acordo com as informações publicadas, entre os títulos com maior volume no estoque estão os títulos vinculados ao IPCA, ou seja, atrelados à inflação. Estes títulos correspondem a 62,3% do total. Em seguida, com 20% de participação, vêm os papéis indexados à taxa Selic. E, em terceiro lugar, estão os prefixados, com 17,7%.

Apesar de não aparecerem em primeiro lugar entre os títulos mais procurados, os prefixados tiveram muito destaque entre os investimentos de renda fixa no ano passado.

Os melhores vídeos do dia

A excelente rentabilidade oferecida pelo título em 2016 conquistou milhares de investidores.

Para se ter uma ideia, o papel ofereceu 9,38% de rentabilidade nominal no primeiro semestre do ano, que é o retorno sem desconto da inflação. Esse valor só foi menor que a rentabilidade da Bolsa de Valores, que foi considerada o melhor investimento do ano passado.

Em 2017, a projeção de especialistas do mercado é de que os prefixados se mantenham no radar dos investidores. Isso porque, caso a Economia do país trilhe um caminho mais sólido de recuperação, os indicadores econômicos deverão se normalizar.

Assim, as chances de ocorrer novos cortes na taxa básica de juros aumentam, o que afetará negativamente a atratividade dos títulos pós-fixados. Deste modo, os prefixados poderão atrair ainda mais interessados.

Novidades recentes

O governo está reconhecendo o potencial do Tesouro Direto e propõe melhorias contínuas ao programa. Ao oferecer uma experiência cada vez mais positiva a seus usuários, o processo de negociação de títulos e a compreensão da plataforma também são beneficiados.

Em 2016, as novidades foram bem recebidas pelos investidores. Primeiro, foram os horários de compra e de venda dos títulos que foram modificados para ficarem sincronizados. Agora, o investidor pode realizar as duas operações de 9h30 às 18h (horário de Brasília).

No fim do ano também foi lançado o aplicativo oficial do Tesouro Direto. Através dele, é possível consultar extratos, solicitar resgates, realizar compras, além de outras funções bastante úteis.

As vantagens do programa são diversas e cada vez mais brasileiros estão descobrindo a modalidade. Além de seguro e acessível, é bastante rentável. Com isso, o Tesouro Direto vem ganhando o espaço que antes era da poupança e ajudando muitas pessoas a realmente valorizarem seu capital.