No próximo domingo comemora-se o ‘dia das mães’. A data é a segunda mais importante para o varejo nacional, perdendo apenas para o Natal.

Segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), sete em cada 10 brasileiros pretendem comprar presente

De acordo com as estimativas, mais de 109 milhões de brasileiros devem presentear e injetar cerca de R$ 14 bilhões nos setores do comércio e serviços.

Roupa lidera na hora de presentear

Neste ano, 26% dos consumidores irão optar em presentear as mamães com roupas, seguidos por perfumes (20%), calçados (11%), cosméticos (8%) e flores ou chocolates (7%).

Como era de esperar, em razão do momento econômico do Brasil, os smartphones e eletrodomésticos tem apenas 5% da preferência.

Quem quer gastar pouco e dar um bom presente, as outlets são boas opções para compras.

Segmento Plus Size

Outro segmento que cresceu nos últimos anos, o Plus Size também tem um bom espaço nas vendas para o Dia das Mães.

A estilista da empresa Cor de Jambo, do Guarujá, litoral paulista, Juliana Torrette, acredita que neste ano as vendas aumentem em 20% em relação ao ano passado.

Vale ressaltar que uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que 60% da população brasileira está acima do peso e mais de 17% são obesos.

Sebrae confirma varejo da moda

Em outra pesquisa feita pelo Sebrae, 17% das lojas do varejo da moda do Brasil vendem roupas em tamanho grande, mas apenas 3,5% delas são especialistas em moda plus size. Por este motivo, o mercado plus size se tornou um bom canal para investimento das indústrias de confecções.

O mercado de modelos neste segmento também aumentou nos últimos anos.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Saúde

Em números, o plus size movimentou mais de R$ 5 bilhões em 2016, mesmo com a concorrência estrangeira e a crise que assombra o Brasil.

Hoje são cerca de 300 lojas físicas e aproximadamente 60 virtuais quem vendem o segmento e a expectativa é que aumente em pelos menos 10% em 2017.

"Para os microempresários que pretendem abrir um negócio no ramo de confecção, o plus size é uma boa dica" afirma o Sebrae.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo