O Ibovespa consolidou o movimento de queda, que vinha acontecendo desde a sua abertura logo após a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado rejeitar o texto da Reforma Trabalhista. Foram 10 votos a 9. Eram 15h55min, no horário de Brasília, quando foi registrado queda e 1,96% aos 60.798, valor que se aproxima muito da mínima (60.315 pontos) alcançada no dia seguinte à delação da JBS.

O dólar comercial registrou alta de 1,34%, cotado a R$ 3,332 na venda.

Mesmo que o veto ao texto da Reforma não tenha caráter definitivo, já que o texto ainda seguirá para a CCJ antes da apreciação final do plenário, a reação dos investidores mostra clara preocupação a respeito da força que o governo do atual presidente Michel Temer teria para aprovar reformas ainda mais complicadas, como é o caso da Reforma da Previdência, considerada vital para o andamento da política fiscal.

A percepção de risco em relação ao futuro tornou-se clara e fez com que os contratos de juros futuros com vencimento em janeiro de 2021 sofressem uma grande alta de 15 pontos-base, para 10,12% ao ano, enquanto que os contratos de DI com vencimento em janeiro de 2019 chegaram a subir 10 pontos-base, para 9,06%.

Mesmo após reprovação texto segue para análise do CCJ

No começo desta tarde, 20/06, senadores da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) realizaram uma rápida votação e rejeitaram o relatório sobre a Reforma Trabalhista do senador Ricardo Ferraço do PSDB-ES por 10 votos contrários à reforma e 9 favoráveis, tendo uma abstenção.

No entanto, é importante notar que a Comissão de Assuntos Sociais tem apenas caráter consultativo neste caso e mesmo com o parecer negativo a respeito do projeto de Reforma Trabalhista pelos senadores da CAS o texto apresentado pelo senador do PSDB-ES segue para a Comissão de Constituição e Justiça antes de finalmente ser apreciado pelo plenário, o que deve acontecer na próxima semana.

Segundo o site InfoMoney, não há indícios de que o governo procure acelerar esse processo, apenas se esse encurtamento se tornar necessário, um acordo de líderes pode levar o assunto diretamente ao plenário.

Novas denúncias contra Temer

Segundo informações do site GloboNews, o presidente Michel Temer teria recebido R$ 500 mil em propina durante campanha presidencial de 2014, quando era candidato a vice-presidente ao lado de Dilma Rousseff. Documentos que fazem parte da investigação realizada pelo Ministério Público Federal informa que a quantia acima citada, foi paga por intermédio da empreiteira para Henrique Eduardo Alves, candidato ao governo do Rio Grande do Norte nas eleições de 2014.

As maiores baixas das ações que fazem parte da Ibovespa foram:

  • JBS ON queda de 6,77%
  • ESTATION PARTON queda de 5,64%
  • SID NACIONALON queda de 4,01%
  • BRASIL ON EJ queda de 3,98%
  • CCR SA ON queda de 3,90%

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo