Vivendo em um mundo masculinizado, as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço no mundo da tecnologia. Somando os dois setores onde mais existe a predominância de homens: tecnologia e financeiro, as fintechs parece que estão avançando na questão de mudar a equipe tradicional destes setores.

O exemplo está no Nubank, o famoso cartão roxo, que tem grande base tecnológica no uso do seu aplicativo para manutenção das contas e dos limites para os clientes. A empresa é liderada por Cristina Junqueira, sendo a única brasileira dentro os três fundadores.

Outro exemplo está na Trigg. A empresa, que apresenta um cartão de #crédito inovador, tem como líder a Marcela Miranda, que também é fundadora e vê a participação da mulher neste setor uma diferença que as novas empresas buscam.

"Uma liderança feminina traz um ambiente organizacional muito mais receptivo, e isso é o que as novas empresas estão buscando. Querem se tornar diferenciais e mesmo assim competitivas", diz Marcela.

A forma diferente do cartão da Trigg traz o empreendedorismo atrelado, o que fez bastante sucesso. Desde março, foram mais de 60 mil pedidos para obter o cartão.

Alguns pontos são citados por Marcela para ocorrer este sucesso, não apenas com a sua fintech, mas a forma de trabalhar. "No setor de tecnologia, com computadores e um ambiente frio, as pessoas querem algo mais humano, que agregue, seja sensível. Algo que tenha diálogo e um engajamento de quem trabalha na área", afirma a empresária ao citar as características que vê como diferenciais para as fintechs.

Fintechs

Com o intuito de facilitar a vida quando o assunto for #Dinheiro, as fintechs – junção da palavras em inglês finanças e tecnologia – têm feito uma transformação no setor de economia, com alguns bancos tradicionais correndo para se adequar ao novo mundo tecnológico.

Os melhores vídeos do dia

Não sendo conhecido pelo nomes, algumas empresas são fintechs: Catarse no crowfundind, Investeapp para investimentos e o Banco Original, sendo um banco totalmente digital.

O mercado, observando o sucesso que as empresas têm feito, não ficou apenas parado e se moveu para se tornar colaborador. Desde que chegou a liderança da empresa, Marcela pôde ver um aumento no número de parceiros.

No caso de funcionários, houve um aumento de três vezes com seis meses de trabalho. A mudança em torno das fintechs, seja na forma de mostrar um outro jeito de trabalhar com finanças e tecnologia, além de ter mulheres na liderança de grandes empresas, traz uma inovação na área. #Nubank