Muitas pessoas buscam diversas formas de investir seu dinheiro. Na maioria das vezes, pensam na poupança como primeira opção, pois é uma das formas mais conhecidas e antigas de guardar dinheiro. Com o tempo, devido a algumas alterações, o número de pessoas que procurava outros meios para guardar ou investir seu dinheiro foi aumentando cada vez mais.

Um dos meios que vem se popularizando cada vez mais é o Tesouro Direto, que foi criado em 2002, com conjunto com a BM&FBovespa, com o objetivo de comercializar os títulos públicos federais por meio da internet para as pessoas físicas.

Porém, algumas pessoas ainda não sabem investir em aplicações como o tesouro direito, e por isso, neste texto terá as principais informações de como fazer isso.

Investir corretamente no Tesouro direto

Para investir no Tesouro Direto, os primeiros requisitos são ter um CPF – Cadastro de Pessoa Física e uma conta corrente em alguma instituição financeira/banco.

Depois, a pessoa deve buscar por um “agente de custódia”, que pode ser uma corretora ou uma instituição financeira. Ela servirá para mediar as transações no Tesouro Direto.

A lista com todas as instituições habilitadas para isso e suas taxas podem ser encontradas no site oficial.

Após isso, o investidor deverá entrar em contato com a instituição escolhida e realizar a solicitação do cadastramento, fornecendo toda a documentação necessária, para que a instituição abra uma conta no seu nome, a fim de realizar as operações do Tesouro Direto.

Logo em seguida, o BM&FBovespa entregará a pessoa uma sen

ha provisória. Esta senha é usada para realizar o primeiro acesso na área restrita do Tesouro Direto. Nessa área, é possível realizar consultas de saldos e extratos, além de poder realizar ações de compra e venda. O investidor deve trocar a senha por uma nova. A nova senha deverá conter de 8 a 16 dígitos e deverá conter números, letras e caracteres especiais.

Após este passo, a pessoa já torna um investidor do Tesouro Direto, podendo começar os investimentos!

Escolha do título para investidor e modalidades de aplicação

Vale lembrar que é importante entender sobre o Tesouro Direto para escolher o melhor e mais adequado título para o investidor, de acordo com seus objetivos e metas financeiras.

Para ajudar o investidor a decidir isso, existe uma ferramenta chamada “Orientador Financeiro”, que fica disponível na área restrita do investidor e também no site do Tesouro Direto.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Após escolher e definir o título utilizado, pode-se realizar a compra.

Entre as modalidades de aplicação, o investidor pode optar pelo Investimento Tradicional ou pelo Investimento Programado.

Acesso aos investimentos do Tesouro Direto

Após os passos, o investidor pode continuar acessando e investindo pelo site do Tesouro Direto, pelo site da Instituição Financeira. Vale ressaltar, que dependendo da instituição financeira, o investidor pode autorizá-la negociar títulos públicos no seu lugar.

Embora o site do Tesouro Direto fique disponível para acesso e consultas 24hs por dia e 7 dias por semana, investimentos e resgate com taxas e preços no momento da transição devem ser feitos durante os dias úteis das 9h30 às 18h. Caso o investidor faça após esse horário, os valores de taxas considerados serão o do próximo dia útil.

Não perca a nossa página no Facebook!