Com a chegada do fim do ano, das festas e confraternizações, vem também o tão esperado 13° salário. Instituído ainda no governo do presidente João Goulart, em 1962, o 13° salário era uma gratificação de Natal. Hoje alguns especialistas afirmam que não pode ser considerado dinheiro extra, já que os trabalhadores sabem que vão ganhar. Enquanto que, na verdade, o dinheiro extra é aquele que não é previsto.

Com o 13° salário, a maioria dos consumidores não mais compra presentes e adornos para suas festas, mas pagam os impostos e contas do começo do ano.

Como os conhecidos exemplos do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor), IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), matrícula e material escolar.

De acordo com os dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade), o número de brasileiros que pretende aplicar e economizar o 13° salário em 2017 diminuiu cerca de 33,3% em relação a 2016. Em 2017, somente 4% dos consumidores poderão investir o dinheiro recebido.

Por que o brasileiro não investe o 13° salário?

O motivo dessa redução de recursos financeiros, como aponta Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos da Anefac, se dá ao crescente número de famílias endividadas. Sendo assim, cerca de 85% dos consumidores irão utilizar o dinheiro do benefício para quitar suas dívidas.

Em 2016, foram 81% e em 2015 um número menor, com cerca de 74% de pessoas que utilizaram desse benefício para pagar as contas.

Já para a compra de presentes em 2017, somente cerca de 5% dos consumidores irão utilizar o dinheiro recebido. Em 2016, cerca de 6% da população conseguiu destinar a verba aos presentes de Natal e em 2015 o número é ainda um pouco maior, 8% .

Ainda de acordo com a fonte da Anefac, com o passar dos anos, a quantidade de consumidores que destinaram o benefício a poupanças, reformas e compras de imóveis vem diminuindo cada vez mais.

Principais contas a serem pagas com o 13° salário

Uma grande parte dos consumidores, cerca de 94%, possui dívidas no cheque especial e no cartão de crédito. O que faz com que o benefício do 13° salário seja utilizado para pagar as contas. O cartão de crédito é o considerado o maior vilão no conjunto de dívidas em aberto. Cerca de 51% das dívidas são em decorrência do cartão de crédito, enquanto que 43% por conta do cheque especial.

Outras dívidas a serem pagas pela população com o 13° salário [VIDEO] são as que dizem respeito à regularização do nome, financiamento e prestações de comércio em atraso e também contas diversas que não foram pagas dentro do prazo correto, como mensalidade escolar, cheques e tarifas públicas, telefonia etc.

Já os brasileiros que podem utilizar o benefício do final do ano para fazer compras têm como preferência gastar o dinheiro, na maioria das vezes, em roupas e celulares.

Quanto aos brinquedos, há uma redução de consumo, já que os itens favoritos das crianças são os aparelhos eletrônicos.

O 13° salário será pago em duas parcelas, no dia 30 de novembro e no dia 20 de dezembro. E você, o que fará com o seu 13° salário? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos!

Não perca a nossa página no Facebook!