Uma companhia chamada Wuzu promete abalar o mercado tradicional de ações no Brasil, fundando uma plataforma onde só é possível comercializar criptomoedas, entre elas, a bitcoin. A plataforma, que será igual a um pregão online, estará disponível a partir do dia 23 de fevereiro de 2018 e dará ao negociador a oportunidade de realizar transações financeiras virtuais sem sair de casa e com total segurança, e isso inclui recursos como transferências e conversão de criptomoedas em dinheiro real, conforme a própria empresa.

Publicidade
Publicidade

A plataforma possibilita enviar e receber criptomoedas livremente entre os usuários sem a necessidade prévia de dinheiro real, ou seja, todas as transações devem ser feitas usando apenas criptomoedas dentro da plataforma. Caso o usuário queira trocar suas criptomoedas, ou a Bitcoin, por dinheiro real, deverá apelar por corretoras como a 99 Exchange, intermediada pela Wuzu.

O papel da corretora será o de relacionar uma oferta de compra a uma de venda conforme a cotação da moeda no momento, ou seja, se uma pessoa quer comprar 1 bitcoin e a cotação dela naquele instante for R$ 10.000 ela abrirá uma ordem e depositará este valor na corretora, que buscará na plataforma alguém interessado em vender essa mesma quantidade de bitcoin por este valor.

Publicidade

Assim que a transação for realizada em ambas as partes a corretora cuida da transferência do dinheiro, descontando uma taxa.

Este sistema é comparado às negociações de compra e venda de ações na bolsa de valores, a diferença é que a Wuzu dependerá das corretoras para intermediar compra e vendas, e a negociação será feita inteiramente entre os próprios usuários, o que poderá aumentar a qualidade e a confiança do sistema.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Tecnologia

Através desta modalidade a empresa busca também reduzir os riscos de roubo e extravio de moedas virtuais por hackers, deixando-as offline enquanto os usuários não estiverem movimentando-as.

A companhia também fez questão de fechar uma parceria com um grande banco, de nome ainda não divulgado, para os clientes abrirem contas e realizarem transações com dinheiro e criptomoedas. Além disso, haverá uma grande instituição de investimentos também atuando com seus negócios junto com a empresa a partir do dia da inauguração da plataforma.

Até o final deste ano, a Wuzu afirma que estará intermediando 20 corretoras em sua plataforma, o que prevê como resposta um movimento de 25 milhões de reais todos os dias, mais do que o volume de criptomoedas circulado pelo país em transações.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo