Com a tremenda Crise econômica e Política que se instalou no Brasil ao longo dos últimos anos, muitos cidadãos estão buscando estudar e Trabalhar no exterior, os quais permanecem atentos a qualquer possibilidade de vagas de emprego ou bolsas de estudo fora do país. Muitas dessas Vagas se concentram no continente europeu em função basicamente da prosperidade econômica e qualidade de vida, vivenciadas em grande parte das nações naquele continente.

A Europa atualmente é formada por 50 países, sendo muitos deles bastante desenvolvidos e prósperos.

Entretanto, outros parecem não acompanhar o avanço dos seus vizinhos, possuindo economias bastante frágeis a qualquer mudança que ocorra na sociedade globalizada.

A UE (União Europeia), por exemplo, tem 28 países, sendo que desses, somente 19 Estados usam o euro como moeda oficialmente institucionalizada. Para os brasileiros que estão prestes a se mudar para a Europa ou pensam seriamente em concorrer às vagas de trabalho no continente, vale frisar de que nem todos os países de lá detém um salário mínimo previamente confirmado pelos seus governos.

Porém, existem médias e salários-base para diferentes profissionais, possibilitando se obter uma comparação parametrizada satisfatória. Os salários mínimos das nações da UE oscilam de € 235 a € 1.999,00 (R$ 943 a R$ 8 mil), onde se destacam os ganhos mensais mínimos dos países abaixo:

  • Portugal € 557,00 (R$ 2,2 mil)
  • Grécia € 684,00 (R$ 2,7 mil)
  • Malta € 736,00 (R$ 2,9 mil)
  • Eslovênia € 805,00 (R$ 3,2 mil)
  • Espanha € 825,65 (R$ 3,3 mil)
  • Reino Unido 1.299,75 libras esterlinas (R$ 5,91 mil)
  • França € 1.480,00 (R$ 5,9 mil)
  • Alemanha € 1.498,00 (R$ 6 mil)
  • Bélgica € 1.532,00 (R$ 6,1 mil)
  • Holanda € 1.537,20 (R$ 6,1 mil)
  • Irlanda € 1.563,00 (R$ 6,3 mil)
  • Luxemburgo € 1.999,00 (R$ 8 mil)

Os salários de maior destaque da Europa

A título de esclarecimento, os salários mínimos mencionados acima não são os mais altos do continente europeu, uma vez que o salário na Suíça é extremamente significativo.

Mesmo assim, os suíços debatem no momento junto ao Tribunal Federal Suíço a implantação de um denominado salário mínimo nacional, pretendendo se adotar o valor de pagamento de 20 francos suíços por hora.

Isto é, já que o expediente de trabalho compreende uma carga de 41 horas por semana, totaliza-se a quantia de 3.480,00 francos suíços mensais (aproximadamente € 3.096 euros ou R$ 12.417,49 ao câmbio atual).

Os países do Norte da Europa, como Noruega e Dinamarca, possuem igualmente salários polpudos, sendo que a média salarial é de € 4.500,00 (R$ 18 mil) e € 2.700,00 (R$ 10,8 mil), respectivamente.

No país latino-europeu, que é a Itália, não há um salário mínimo determinado pela lei. No entanto, a média salarial é de € 1.000,00 (R$ 4 mil) para um iniciante no mercado de trabalhou ou para um colaborador com poucas qualificações. Um empregado que reúna muita experiência ganha na média o salário de € 1.400,00 a € 1.850,00 (R$ 5,6 mil a R$ 7,4 mil)

Custo de vida

O ponto de atenção é que as pessoas devem prestar atenção quando concorrem às vagas de atuação na Europa, porque devem considerar o custo de vida dos países daquela parte do mundo.

Enfim, é vital fazer o cálculo acerca dos salários mínimos regionais, gastos com moradia, saúde, alimentação, transporte, lazer etc.

Tanto é assim que um número considerável de sites que são os oficiais, de embaixadas e consulados, apresenta os valores precisos por mês para poder morar no país ou até uma tabela mencionando o custo de vida, auxiliando nos cálculos dos candidatos em potencial de emigração.

Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!