Com a grave crise que o País atravessou nos últimos três anos, os bancos passaram a segurar a concessão de credito, mas já estão procurando clientes para conceder empréstimos. Esse aumento já está sendo registrado pelo Banco Central, que acabou revisando a projeção de crescimento da concessão de crédito para esse ano, que era de 4% e agora passa a ser 6%.

Os dados do Banco Central mostram que as retomadas da concessão de crédito para pessoas físicas pelos bancos brasileiros começaram ainda no segundo semestre de 2017.

Já no setor empresarial, a retomada do financiamento teve início no último trimestre do ano passado. Entre dezembro de 2017 e fevereiro deste ano, a concessão de crédito para empresas registrou um crescimento de 7,4% em comparação com os três meses anteriores. Já para os consumidores normais, a alta ficou em torno de 1%.

Um dos motivos que fazem os bancos aumentarem a oferta de empréstimos é a constante queda da taxa básica de juros, que na última semana chegou a 6,5%, sendo essa a menor registrada na história do País.

Essa queda faz com que os investimentos dos bancos nos títulos públicos tenham uma menor rentabilidade, obrigando os bancos a aumentar os empréstimos, para compensar as baixas na taxa de juros.

Leandro José Diniz, diretor do setor responsável por empréstimos e financiamentos do Banco Bradesco, admitiu que o banco está liberando os empréstimos com mais facilidade. Diniz falou que os gerentes do banco estão sempre buscando visitar seus clientes do ramo empresarial, pois a economia tem melhorado e algumas empresas precisam de financiamento para novos investimentos.

Quando se trata de pessoas físicas, ou seja, os consumidores, a melhora da economia gerou prazos mais longos para pagar os empréstimos, sendo que do mês de setembro de 2017 para março deste ano, os prazos médios passaram de 18 meses para 34 meses.

Eduardo Jurcevic, superintendente do banco Santander e responsável pelo setor que concede empréstimos para pessoas físicas, falou que o banco já registra melhoras no setor a cerca de 1 ano, mesmo sem mudar os modelos de pagamento.

Jurcevic falou ainda que o banco está estudando a possibilidade de fazer um alongamento nos prazos para pagamento.

Outro banco que também não fez alterações na politica de concessão de crédito foi o banco Itaú, mas mesmo assim a instituição tem observado uma alta na demanda de crédito por parte de pequenas e medias empresas.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!