O presidente dos EUA (Estados Unidos da América) Donald Trump, havia iniciado a "guerra comercial" no dia 8 março, após assinar o aumento em 25% de taxa sobre a importação de aço e 10% sobre a importação de alumínio. Fato que preocuparia o Brasil, pois o mesmo era o segundo maior exportador do país norte-americano, com isso, o Brasil iria perder cerca de 3,1 bilhões de dólares, ou seja, 10 bilhões de reais, o país seria prejudicado em 1/3 da exportação do metal (já que em 2017, os EUA importaram mais de 26 milhões de toneladas de aço vindo do Brasil), e o valor seria ainda maior paro o alumínio.

O setor do aço sugeriu que o presidente do Brasil, Michel Temer do PT (Partido dos Trabalhistas) recorresse um pedido para que Trump não aplicasse a taxa sobre o Brasil.

Empresários do setor do aço aconselharam Michel Temer que o mesmo fizesse uma ligação ao presidente Donald Trump, com intenção do Brasil continuar vendendo normalmente o seu metal para os Estados Unidos.

Nesta quarta-feira, dia 21 de março, Temer se pronunciou em um discurso falando justamente sobre esse assunto, segundo ele, o governo norte-americano lhe informou que não iria mais aplicar a taxa para o Brasil.

Segundo o ministro da fazenda, Henrique Meirelles, o país norte-americano iria prejudicar o preço do metal americano, a indústria americana e o consumidor americano. O mesmo disse também que teve uma séria conversa com os secretários da Casa Branca para tentar convencê-los de que iria dar prejuízo para os dois lados.

Henrique Meirelles disse também que essa possível exceção do país norte-americano é "muito importante", pois o Brasil tem grande parte de seu aço comprado pela indústria americana.

O Brasil está sendo o primeiro país a conversar sobre "possíveis exceções" sobre a cobrança da taxa imposta por Trump, e também do alumínio. Porém ainda não há nada confirmando, isso está em um processo de negociação.

O presidente do Brasil, Michel Temer, está confiante sobre bons resultados da negociação, e diz que aposta no diálogo com o país norte-americano, entretanto, o mesmo já disse que avalia enviar uma representação à OMC (Organização Mundial do Comércio) caso não haja uma solução rápida para o caso.

Meirelles ainda disse que o trabalho conjunto de diversos órgãos do governo brasileiro já está mostrando resultado, afirmou após Trump aceitar negociar com o Brasil sobre a taxação de aço e do alumínio.

Siga a página Michel Temer
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!