Ao meio de tantos debates e críticas sobre a Reforma na Previdência, o que as pessoas não sabem é que as pesquisas apontam que em 2050 o Brasil terá muito mais idosos do que crianças e adolescentes. Logo, se a Previdência pagar aposentadorias como pagava antes, ela provavelmente estará quebrada. Isso acontece por causa do aumento da expectativa de vida e a diminuição de nascimentos. Ao passo que há uns anos atrás os casais tinham em média seis filhos, hoje eles tem apenas dois.

Com essas mudanças, começa a haver uma maior preocupação das pessoas em poupar dinheiro para o futuro, e a adesão a Planos de Previdência Privada aumenta, sendo o segundo tipo de investimento mais utilizado, perdendo apenas para a Poupança.

Mas será que a previdência privada vale mesmo a pena? Ao mesmo tempo em que as pessoas querem garantias para o futuro, percebe-se que elas não possuem muitas informações. É muito mais cômodo confiar no gerente do banco, afinal, ele está ali para lhe ajudar não é mesmo? Grande erro. Há detalhes importantes que nem sempre o gerente irá te contar sobre o seu Plano de Previdência e estamos aqui para te mostrar tudo que você deve considerar antes de investir o seu dinheiro.

Tipos de Previdência

PGBL x VGBL

A previdência PGBL é indicada para quem declara o Imposto de Renda Completo, já que é possível deduzir até 12% da sua renda tributável no IR anual.

Porém, se você for retirar a sua previdência, pagará imposto sobre o valor total acumulado.

Já o VGBL seria a opção para quem realiza a Declaração de Imposto de Renda Simplificada. Neste caso, o imposto no momento da retirada será pago apenas sobre o lucro .

Tributação

Tabela Progressiva X Regressiva

Na tabela regressiva a alíquota de imposto de renda cai a cada dois anos, iniciando com 35% e caindo para até 10%, após 10 anos de aplicação.

Ou seja, quanto mais tempo o seu dinheiro ficar investido, menos você pagará de IR.

Já na tabela progressiva a alíquota de imposto está ligada ao lucro que você obterá. Neste caso quanto mais dinheiro você acumular, maior será o imposto de renda pago, podendo chegar até 27,5%.

Taxa de Carregamento

É cobrada a cada aporte que você faz, ou seja, se a sua taxa for de 5% e a cada mês você colocar R$ 1000,00, o banco fica com 50 reais todo o mês e R$ 950,00 serão investidos no seu fundo.

A longo prazo, você pode acabar perdendo muito dinheiro.

Taxa de Administração

Essa é a taxa que você paga pelo serviço de administração dos seus recursos. É cobrada sobre o patrimônio total e normalmente anual. Por exemplo, se você tiver R$ 100 mil e a taxa for de 2%, você pagará R$ 2 mil ao final ano.Normalmente é cobrado de 1 a 4% ao ano, o que já são valores bastante altos se considerar os cobrados pelo Tesouro Direto, que são abaixo de 1%.

Conclusões sobre a Previdência Privada

A maioria dos especialistas afirma que investir no Tesouro Direto é muito mais rentável do que fazer um Plano de Previdência Privada. Vale lembrar que na Previdência basicamente você pagará ao banco para ele aplicar o seu dinheiro em diversos outros tipos de investimentos que você mesmo poderia estar fazendo, sem pagar tantas taxas e com uma rentabilidade muito maior.

Seja qual for a sua escolha, agora você já sabe que, antes de investir, é necessário se informar muito bem e ler seu contrato com muita cautela. Saiba exatamente para onde está indo todo o seu investimento. Lembre-se: não há ninguém melhor para cuidar do seu dinheiro do que você mesmo.

Não perca a nossa página no Facebook!