Desde os mais jovens até as pessoas com mais experiência procuram por Vagas e oportunidades de trabalho frente às condições críticas vivenciadas no Brasil ultimamente. Entretanto, há também outra realidade, isto é, os mesmos indivíduos que em algum momento de suas vidas buscaram vagas para trabalhar no exterior são os mesmos que ao se aposentarem, optarão ou já decidiram por morar fora.

Tanto é assim que a International Living, site especializado em indicar locais para se morar no exterior, promoveu pesquisa acerca de como é a realidade de se viver fora do Brasil, divulgando o ranking, que, por sinal, causou surpresas em muitos sobre quais são as melhores nações do globo para habitar após a aposentadoria.

Saiba quais são as 10 melhores nações para se viver na aposentadoria

10º) Peru: o país sul-americano conquistou a sua posição na lista da International Living graças às suas belezas naturais, clima agradável com muito sol e riqueza de suas manifestações culturais. Obviamente que o baixo custo de vida comparando aos outros países foi um fator preponderante na escolha.

Tanto é assim, que os aposentados encontram aluguéis baratos, algo com o preço médio de US$ 250 (R$ 825) por um apartamento de dois quartos e o total dos gastos mensais não passam de mil dólares (R$ 3,3 mil).

O sistema de saúde naquele país é precário, mas com o pagamento de aproximadamente US$ 100 ao mês (R$ 330), o segurado tem direito a todos os serviços em uma série de clínicas especializadas e hospitais gerais.

9º) Espanha: o país ibérico é ótimo para cidadãos oriundos de outros locais europeus, tendo um clima basicamente temperado, com longos dias de sol, cidades litorâneas aprazíveis e uma infraestrutura singular, o que garante ótima qualidade de vida.

Por estar na Europa, a Espanha tem um custo de vida acentuadamente baixo.

Por lá, as pessoas aposentadas têm no transporte público serviços integrados e eficientes, bem como, a mesma regra é aplicada para o sistema de saúde e atrações culturais em todo o país. Conforme a International Living, basta US$ 2.100 (R$ 6.930) para se viver muito bem em terras espanholas.

8º) Nicarágua: o país na América Central não é muito conhecido, mas, por causa de sua moeda desvalorizada frente ao dólar e diferentes moedas do mundo, pode se viver gastando bem menos, ou seja, com cerca de US$ 1 mil mensais (R$ 3,3 mil) paga-se o aluguel, alimentação, carro, diversão etc.

Não se pode esquecer que a Nicarágua tem paisagens paradisíacas com um clima ameno.

7º) Portugal: ex-dona do Brasil, o país de Camões tem sido a bola da vez do momento para os brasileiros. Possui segurança invejável, o mesmo idioma e vários acordos bilaterais diminuem o custo de vida para os indivíduos uma vez aposentados.

6º) Colômbia: na nação sul-americana com clima quente e tropical, banhada pelo Mar do Caribe, o aposentado tem condições de viver com uma renda de US$ 2 mil (6,6 mil) contemplando todos os gastos. Vale frisar, para surpresa de muitos, a Colômbia possui 22 dos 43 principais hospitais da América Latina, o que lhe permite ocupar 22º lugar no ranking da OMS (Organização Mundial da Saúde) no que diz respeito à qualidade do atendimento na saúde.

A Colômbia supera o Canadá (30º lugar da lista da OMS) e os Estados Unidos (37º lugar) no quesito qualidade na saúde.

5º) Malásia: na ex-colônia inglesa um casal aposentado vive de modo luxuoso com somente US$ 1.500 por mês (R$ 4.950), sendo que a qualidade de serviços e diversões no país é algo que realmente chama a atenção positivamente.

4º) Equador: o país andino tem sucesso em atrair aposentados de vários países devido ao clima agradável, onde um casal aposentado consegue viver satisfatoriamente com menos de US$ 2 mil por mês (R$ 6,6 mil).

3º) Panamá: os panamenhos são hospitaleiros e acolhedores, além do que o governo local oferece uma série de programas incentivo os aposentados, como, por exemplo, os ganhos conseguidos no exterior não sofrem tributação.

O setor de saúde no país é simplesmente magnífico, com hospitais e clínicas aclamadas em nível mundial, como a John Hopkins International.

2º) México: muito embora existam regiões com violência no país da América da Norte, a vida para os aposentados não é ruim, pois o clima é agradável, os serviços de internet são ótimos e tem chamadas de longa distância que não custam nada. Um casal aposentado mora, de acordo com a cidade, com US$ 1.500 por mês (R$ 4.950), o que inclui as despesas com saúde.

1º) Costa Rica: esse pequeno e exuberante país da América Central tem um clima tropical agradabilíssimo, reduzido custo de vida, atendimento médico satisfatório e de muita qualidade para a população.

Existe a barganha imobiliária, isso sem falar na singularidade de suas belezas naturais.

O aluguel de uma casa mobiliada por lá é de somente US$ 500 (R$ 1.650) e as compras da semana na feira para um casal não passam de US$ 25 (R$ 82,50). O governo da Costa Rica se mostra preocupado com a qualidade de vida dos seus habitantes, atrai constantemente muitas empresas multinacionais para investimentos milionários na região.

Outro fator positivo é que a criminalidade por lá é muito baixa, permitindo que o sossego dos aposentados e outras pessoas não seja prejudicado. Enfim, com US$ 2.500 (R$ 8.250) é totalmente possível viver de modo espetacular na Costa Rica.

Siga a página Vagas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!