Os carros SUVs registraram e vem registrando alta nas vendas nos últimos anos, contrariando quem apostava que isso não passava de uma “moda passageira”. Esses carros já são responsáveis por 20,8% das vendas do setor no Brasil, e pela primeira vez ultrapassaram as vendas dos modelos sedãs nos primeiros três meses de 2018.

Segundo os fabricantes dos utilitários-esportivos, a expectativa é que a venda desses carros cresça mais ainda e cheguem a ser responsáveis por até 30% das vendas no País. Caso isso ocorra, os SUVs passarão a liderar a venda de carros no Brasil, deixando para trás a hegemonia dos modelos conhecidos como Hatches, que lideram o mercado brasileiro há muitos anos.

As vendas do segmento de SUVs quase dobrou no Brasil desde o ano de 2010, saindo de 215,7 mil unidades para 414,5 mil unidades vendidas. Essa tendência fez com que a fabricantes dos modelos, que antes eram quase todos importados, passassem a investir na fabricação desses carros em território nacional, como é o caso do Jeep Renegade e do Compass.

Segundo especialistas do setor automotivo, o Brasil está seguindo uma tendência que já é vista em países como Estados Unidos e China, onde os SUVs já são responsáveis por 40% dos veículos vendidos.

Com a atual porcentagem de venda de utilitários-esportivos, o Brasil se equipara aos registros de França, Índia e Alemanha.

Mundialmente, os SUVs já são responsáveis por 30,1% das vendas de veículos novos, sendo, que a 8 anos atrás, esse segmento só era responsável por 14% das vendas.

Essa “febre” dos SUVs no Brasil e no mundo pode ser explicada pela sensação de conforto e segurança que o carro passa simultaneamente para o motorista, pois são bem mais altos que os veículos “normais” e permitem ao motorista uma melhor visão do exterior do carro.

Além disso os modelos oferecem um espaço interno bem maior do que os sedãs e os hatches, assim como um porta-malas bem maior. Outro atrativo é que alguns modelos possuem tração nas quatro rodas, que permite que o carro ande em qualquer tipo de terreno.

A grande maioria das vendas (cerca de 70%) são dos modelos conhecidos como SUVs compactos, e isso faz com que os modelos mais afetados pela alta nas vendas dos SUVs sejam os hatches médios, como o Golf, da Volkswagen, que custa em torno de R$ 70 mil, e o Cruze, da Chevrolet, que sai por cerca de R$ 93 mil.

Os sedãs médios também são afetados, como é o caso dos lideres de venda Corolla, da Toyota, que tem preços a partir de R$ 90 mil, e o Honda Civic, de fabricação japonesa, que sai da concessionaria por R$ 89 mil, em seu modelo mais básico.

Não perca a nossa página no Facebook!