No Brasil todo, aproximadamente, 7 milhões de trabalhadores estão com seus depósito no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) irregulares. Os dados constantes na PGFN (Procuradoria Geral da Fazenda Nacional) demonstram que o montante devido chega a R$ 27,8 bilhões em dívidas ativas cobradas pelo órgão, no mês de abril. Mais baixo você poderá conferir quais são as principais empresas devedoras.

Uso indevido do dinheiro do trabalhador

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é uma forma que o trabalhador tem de constituir um patrimônio e é uma conquista garantida pela Constituição. No entanto, especialistas afirmam [VIDEO] que as empresas que se endividaram deixaram de priorizar os depósitos no FGTS, o que faz aumentar a dívida com o fundo gestor dos recursos.

No mês de abril, o crescimento do montante devido foi de 13,5%, se comparado ao mês imediatamente anterior.

R$ 2,17 bilhões em passivos é o acumulado somente dos 15 maiores devedores. O Fisco é um cobrador moroso, o que contribui para a efetivação do calote.

No topo da lista, empresas que superfaturam

Algumas empresas famosas estão na lista. Podemos citar a Vasp, cuja dívida é de R$ 160 milhões, e a Varig, com dívida de R$ 820 milhões em débito. As duas empresas aéreas estão no topo da lista dos devedores.

Grandes empresas multinacionais [VIDEO] lideram a lista. Entre elas, a Eletropaulo (débito de R$ 91 milhões) ocupa o oitavo lugar ), a Vale (débito de R$ 105 milhões) ocupa sexto lugar.

Dentre as 15 empresas que lideram a lista dos maiores devedores do fundo, cinco são da área da educação. O 3º lugar é ocupado pela Associação Sociedade Brasileira de Instrução, com dívida de R$ 132 milhões, dona da Universidade Cândido Mendes.

A Universidade Gama Filho ocupa o 4º lugar, com dívida de R$ 130 milhões.

Como a maioria dessas empresas estão em processo de recuperação judicial, ou simplesmente já faliram, é grande a possibilidade de que o fundo não consiga receber o montante total devido.

FGTS, um benefício do trabalhador, financia obras públicas

O FGTS é um recurso que o trabalhador pode usar em situações de dificuldades, ajudar no financiamento da casa própria, ou sacar quando se aposenta. É o fruto de seu trabalho, já que se refere aos 8% do seu salário, recolhido via CLT.

Apesar de a lei garantir ao trabalhador esse direito, não se pose usar quando bem entender. O dinheiro depositado tem rendimentos trimestrais e é um recurso usado pela Caixa para financiar obras de infraestrutura, habitação e saneamento, que são projetos públicos.

Trabalhador, fique atento

O trabalhador deve acompanhar e verificar atentamente se seu empregador está realizando os depósitos em sua conta do FGTS, para evitar cair na armadilha.

Se durante as observações constatar alguma falha, deve informar a empresa, exigindo o depósito.

Guarde todos os demonstrativos de pagamento, para o caso de precisar mover alguma ação trabalhista.

Se for necessário, pode procurar o sindicato da categoria e ainda oficializar uma denúncia junto ao Ministério Público. Se desejar, pode ainda procurar um advogado em até dois anos depois de rescindir o contrato e requerer judicialmente o seu direito.