Nesta terça-feira (21), a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) colocou uma plataforma online no ar sobre a adesão de acordo que vai restituir as perdas da poupança para aqueles que tinham um dinheiro aplicado na caderneta e foram prejudicados por ações do governo e dos próprios bancos. As aplicações se referem aos planos econômicos da época Bresser de 1987, Plano Verão de 1989 e Collor II de 1991.

Conforme as informações da Febraban, os valores começarão a ser pagos 15 dias após as instituições financeiras confirmarem o pedido.

Para quem quiser verificar a situação, o endereço virtual é esse: http://www.pagamentodapoupanca.com.br/.

Esse acordo foi uma iniciativa para que os poupadores possam abrir mão das disputas judiciais. Muitos entraram na Justiça com ações civis dentro dos prazos legais e um acordo está sendo sugerido para que compensem para os dois lados. Para poupadores, evitaria mais burocracias e tempo e para os bancos seria uma forma de evitar maiores danos financeiros com os pagamentos.

Alerta para alguns cuidados

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) alertou para alguns cuidados a fim de evitar articulações de golpistas:

Recuse oferta de terceiros: o Idec ressaltou que não entra em contato por telefone com nenhum poupador, por essa razão, desconfie caso receba qualquer oferta relacionada ao pagamento de indenizações;

Procure seu advogado: para evitar problemas, diante de dúvidas, procure seu advogado e peça para ele entrar em contato com o Idec, isso caso o poupador seja associado ao órgão.

Caso não seja, vá falar com o advogado que o representa e explique o processo sobre as perdas nos planos econômicos;

Não realize pagamentos: o poupador deve estar atento e não fazer nenhum pagamento antecipado. O dinheiro creditado pelos bancos não está condicionado a nenhum tipo de pagamento antecipado. Advogados mal-intencionados podem querer usar um golpe e tirar dinheiro das pessoas;

Sem intermediários: Segundo o Idec não há a necessidade de contratar despachantes ou outros intermediários para agilizar os pagamentos;

Dados pessoais preservados: é importante que o poupador preserve seus dados e não passem nenhuma informação para desconhecidos;

Acordo

Após a aceitação do acordo, o prazo para se receber vai variar conforme o plano econômico.

Até R$ 5 mil, o dinheiro será integral e à vista. Acima desse valor, vão ser descontados descontos progressivos de 8% a 19%.

Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!