A alta do dólar é um dos assuntos mais comentados do momento. Isso porque, com a moeda norte-americana em alta, a economia de muitos países pode ser prejudicada. De acordo com diversos especialistas, a alta de quase 9% neste mês de maio pode ser explicada pela crise externa que muitos países estão vivendo.

No Brasil, as eleições e o termômetro de risco do país são alguns dos fatores principais para a alta do dólar. Embora muitas pessoas não deem importância para essa situação econômica, a moeda em alta implica em uma série de consequências no mundo inteiro.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

No caso dos brasileiros, é possível listar alguns itens de consumo que poderão sofrer o impacto dessa alta:

Viagem para o exterior

O primeiro item de consumo que sofre com os impactos causados pela alta do dólar é o turismo.

Com a moeda em alta, fica mais difícil viajar para diversos países, especialmente os Estados Unidos.

Produtos importados

Outro item que poderá sofrer diretamente com a alta são os produtos importados. Como o próprio nome já diz, os produtos que vem de fora do país precisam passar pelo processo de cotação da moeda.

Nesse caso, a moeda mais utilizada para importações é o dólar. Sendo assim, a maioria dos produtos comercializados fora do país poderá ficar mais cara agora com a alta.

Produtos no geral

Mesmo os produtos que não são importados diretamente sofrem com a variação do dólar. Nesse caso, muitos produtos poderão apresentar alta significativa no preço por causa da atual cotação.

Esse tipo de produto é caracterizado por ser fabricado no Brasil a partir de matéria-prima importada. Então, tudo que se enquadrar nessa categoria poderá sofrer com as consequências dessa alta.

Medidas adotadas pelo Brasil

Em função da alta do dólar, o Governo brasileiro passou a tomar algumas medidas importantes para conter as oscilações ocasionadas pela cotação. Na semana passada, o Banco Central decidiu manter os juros da Selic em 6,5%. A decisão do BC foi, na opinião de muitos especialistas, a melhor possível para o momento. Porém, o esperado antes da subida da moeda norte-americana era que o BC anunciasse o corte de 0,25 ponto percentual.

De acordo com diversos especialistas, essa alta ocorre por fatores domésticos e externos. No caso do fator externo, o dólar tem sentido o impacto dos aumentos esperados para os juros nos Estados Unidos [VIDEO]. Já em relação ao Brasil, o principal fator de desvalorização do real é ainda a incerteza política com a aproximação das eleições [VIDEO] de 2018.