Após alguns anos apresentando leve redução na quantidade de investidores, 2016 se mostrou como o ano da virada. Desde então, a quantidade de investidores pessoa física na bolsa de valores brasileira vem aumentando. É o que apontam os números divulgados pela B3.

Somente no ano de 2017, foram 55 mil novos aplicadores de um total de 619,62 mil, crescimento de 9,85% em relação a 2016. Neste ano de 2018, a quantidade total até o mês de maio já chegou a 680,57 mil aplicadores, alta de 9,83% em relação a 2017.

O fato mais interessante está por vir. Ao fim de 2017, a participação total de jovens com idade entre 16 e 25 anos passou de pouco mais de 14 mil em 2016 para 18,4 mil, aumento de 28,6% em apenas um ano. Em 2018, a quantidade total de jovens investidores já é de 20,7 mil, aumento de 12,5% em relação a 2017.

Mudanças na cultura de investimentos

O crescimento da participação dos jovens na bolsa de valores brasileira é muito positivo, demonstra melhora na educação financeira do país e mudança na cultura de investimentos.

Em alguns países, como a Austrália, o percentual da população que investe na bolsa de valores chega a 36,%. No Brasil, esse número ainda é muito tímido, apenas 0,30%. Mas, afinal, quais são os motivos que estão levando o jovem brasileiro a se interessar mais pelo mercado de renda variável? Veja a seguir os 4 principais motivos:

  • Facilidade de acesso à internet: Para os jovens, grande parte do conhecimento sobre investimentos está disponível na internet, em suas variadas forma,s como: E-books, PDF, blogs, sites de finanças, redes sociais e vídeos.
  • Crescimento do marketing digital: As corretoras e os blogs especializados em finanças têm investido fortemente na criação e divulgação de conteúdo digital. Eles “sacaram” que o jovem utiliza muito as redes sociais, então, nada mais inteligentes do que ir até elas captar esse tipo de público.
  • Evolução das plataformas de investimentos: O avanço da Tecnologia permitiu a criação de plataformas de investimentos mais fáceis de serem utilizadas. Hoje, é possível enviar uma ordem de compra/venda rapidamente pelo home broker do computador ou pelo aplicativo de celular em poucos segundos, com apenas alguns cliques.
  • Redução da taxa base de juros da economia: A taxa Selic no patamar dos atuais 6,5% ao ano faz com que a renda fixa se torne menos atrativa. Dentre os investimentos mais afetados com a queda da taxa de juros, podemos destacar os títulos do tesouro direto, que até então eram considerados os queridinhos.

Busca pela independência financeira

No Brasil, os jovens ainda são introduzidos à educação financeira tardiamente, muitos ingressam na faculdade sem terem o mínimo de conhecimento sobre investimentos, mas graças à internet, esses laços estão se tornando cada vez mais estreitos e a cultura de investimentos está passando a fazer parte do dia a dia do jovem brasileiro.

Eles estão ficando bastante otimistas com a bolsa, principalmente após a forte alta de 26,8% apresentada em 2017. Estão vendo na bolsa a oportunidade de alcançar a independência financeira, seja com operações de curto prazo, como day trade e scalper, que são modalidades especulativas que consistem na compra e venda de ações, opções e ou futuros no mesmo dia ou mesmo em minutos, ou com uma visão de investimento de longo prazo, buy and hold, no termo em inglês que significa comprar e guardar, com o propósito de formatar uma carteira composta por boas empresas que remuneram seus acionistas periodicamente por meio do pagamento de dividendos.

O jovem investidor tem algo muito valioso ao seu favor, o tempo, pois quanto mais cedo se começa a investir, mais cedo é possível colher os frutos. Por ter o tempo ao seu favor, o jovem tem se mostrado mais propenso a investir em investimentos de risco mais elevado, pois, se algo der errado, ainda tem muito tempo para recuperar o prejuízo.

Siga a página Tecnologia
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!