Após quatro recuos seguidos, a confiança no comércio brasileiro voltou a ganhar confiança no mês de agosto. Os dados foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira (24).

Segundo a FGV, o Índice de Confiança do Comércio (Icom) foi a 89,9, com a alta de 1,1%. Rodolpho Tobler, coordenador da FGV, explica que, no entanto, a reação a confiança ainda é tímida no mês de agosto. As empresas esboçam uma melhora nas expectativas, porém elas analisam a situação de forma desfavorável.

"A lenta evolução do mercado de trabalho e a sujeição dos níveis de incerteza, faz com que o setor continue se recuperando lentamente", acrescentou Rodolpho. O Índice da Situação Atual (ISA-COM) teve o seu pior nível atingido em oito meses. Chegou na casa dos 85,7, tendo recuado 0,8 ponto. Em contrapartida, o Índice de Expectativas (IE-COM) chegou aos 94,6 pontos, avançando 2,8 pontos.

A greve dos caminhoneiros abalou as estruturas econômicas do país. Agora, a nova preocupação tem a ver com as eleições no Brasil.

Com receios de um Governo menos comprometido com reformas, o dólar já bateu a casa dos R$ 4,00 e a incerteza ganha força.

Para se chegar ao resultado, a coleta de informações utilizou-se de uma pesquisa em que foram abordadas 1.206 empresas. Ela foi realizada entre os dias 1 e 22 de agosto.

A avaliação da FGV sinaliza que a queda do indicador em agosto se deve à redução de demanda insuficiente, ao custo financeiro e ao acesso a crédito bancário.

O Índice de Confiança do Consumidor também tem um indicador de mede a intenção de compras de bens duráveis. Esse teve queda, recuando 0,9 ponto. Assim, o agregado ficou em 81,2 em agosto, o menor nível desde outubro de 2017.

Conforme as faixas de renda, ao desagregar os dados, o ICC recuou também em todas as classes de renda, exceto para os consumidores de renda familiar entre 2 mil reais até R$ 4,8 mil.

O índice melhorou em 1,6 ponto e a confiança já vem aumentando pelo segundo mês consecutivo. Para as famílias abaixo do mínimo dessa renda, a queda da confiança foi maior, diminuindo em 1,2 ponto.

A Sondagem do Consumidor analisou 1.933 domicílios em sete capitais. As entrevistas ocorreram entre 1 a 21 de agosto.

Índice de Confiança da Indústria volta a subir em agosto

O ICEI alcançou 53,3 pontos em agosto, obtendo um crescimento de 3,1 pontos na comparação com julho.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Além disso, o índice supera o registrado nos últimos dois meses. No entanto, ainda é inferior ao registrado em maio de 2018.

Não perca a nossa página no Facebook!