O salário mínimo no Brasil para o sustento de uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.674,00, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada no dia 6 de agosto.

Para calcular o salário mínimo ideal, o Dieese tomou como base o custo da cesta básica de julho em São Paulo, a mais cara entre 20 capitais. O valor sugerido é quase quatro vezes maior do que o salário mínimo atual, que é de R$ 954,00.

Mas o custo para o sustento de uma família está caindo. Segundo dados do Dieese, a cesta básica baixou em 19 capitais no mês passado. Em junho, o brasileiro precisaria de R$ 3.804,06 para sustentar a família de quatro pessoas.

Cesta básica em queda

De acordo com a pesquisa, Cuiabá registra a maior queda de preços da cesta básica: - 8,7%. Em segundo lugar está São Luiz, com redução de -6,14%, seguida por Brasília, Belém, Rio de Janeiro e Curitiba. Entre as capitais pesquisadas, apenas Goiânia apresenta alta de 0,16% na cesta básica.

São Paulo tem a cesta básica mais cara, no valor de R$ 437,42, seguida por Porto Alegre e Rio de Janeiro. Já Salvador tem o menor valor médio dos produtos que compõem a cesta. Na capital baiana, os produtos básicos para o sustento de uma família custaram R$ 321,00 em julho. São Luiz, com custo básico de R$ 336,00 e Natal, R$ 341,00, ficam logo atrás.

Alimentos mais caros

A pesquisa Dieese registra aumento dos preços do leite integral da farinha de trigo do pão francês e do Arroz agulhinha.

Destaque para o leite integral, que subiu em todas as capitais pesquisadas. A entressafra do produto na Região Centro-Oeste, o inverno, a baixa nas pastagens no Sul e no Sudeste provocam baixa de oferta do leite. Em São Luís, o produto teve alta de 19,84%.

Outro produto cujo preço está em alta em todas as capitais é a farinha de trigo. Em São Paulo, o preço subiu 8,50%. Mas foi em Vitória que a farinha de trigo teve a maior alta: 17,75%.

A alta do dólar em relação ao Real e as possíveis rduções na produção por conta do clima adverso na Região Sul do país estão entre as principais causas do aumento do preço da farinha de trigo.

Por conta do aumento do preço do trigo, o pão francês teve alta em 16 cidades. O preço do arroz agulhinha também apresenta alta em 15 cidades. Mas o produto apresenta redução em quatro capitais.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Tomate e batata

Entre os produtos que ficaram mais baratos, o tomate se destaca em todas as cidades pesquisadas. Principalmente em Cuiabá, onde houve queda de 51,02%. Outro tubérculo com forte queda de preço é a batata. Todas as cidades registram queda.

As reduções mais frequentes foram observadas também com a banana e a carne bovina de primeira. Mas para reforçar o orçamento, vale buscar por abono salarial.

Não perca a nossa página no Facebook!