A economia venezuelana tem se deteriorado e muito. De 2013 para cá, a economia já recuou cerca de 50%, no mesmo ano em que Nicolás Maduro assumiu a presidência. E em 2018 os números não são nada favoráveis também. Desde o início do ano, a economia venezuelana recuou 25%. Os dados foram divulgados na Assembléia Nacional do país.

O porta-voz das Finanças, Ángel Alvarado, estava presente numa sessão extraordinária do parlamento e decidiu divulgar os dados. No parlamento, a oposição ao Governo é maioria.

De acordo com Ángel, esse é o real motivo do colapso em todos os sentidos da Venezuela.

De acordo com o porta-voz, a crise venezuelana se dá pela forte queda da produção de petróleo, que consequentemente levou ao fechamento de várias empresas e comércios e que no final, gerou forte onda migratória para fora do país. Ángel também classifica como "inaceitável e inacreditável" a Venezuela ter uma das maiores reservas de petróleo do mundo, porém só produzir 1,2 milhão de barris crus, produzindo assim, menos que outros países.

Em agosto, o presidente Nicolás Maduro anunciou reformas na economia, mas o porta-voz adverte que a crise vai se agravar e que as medidas anunciadas, não surtirão efeito. Entre as medidas, está o corte de cinco zeros da moeda, aumento da gasolina e transporte, aumento de impostos, aumento de 35 vezes do salário mínimo e a desvalorização de 95,8% do bolívar (moeda venezuelana). Alvarado acrescentou que essas medidas só vão trazer desemprego e problemas para as famílias.

Nicolás Maduro viaja à China em busca de reverter a situação

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, viaja para China a fim de conseguir empréstimo para a produção de petróleo. A China já havia emprestado cerca de 5 bilhões de dólares e assim ganhava mais um fornecedor de petróleo para sua forte economia e também mais um país anti-Estados Unidos.

Nesta quarta-feira, o líder venezuelano afirmou que "estava com grandes expectativas e que logo veria grandes conquistas".

Ainda em julho deste ano, o Ministério das Finanças da Venezuela disse que o país receberia cerca de 250 milhões de dólares da China. O repasse seria feito pelo Banco de Desenvolvimento Chinês. No entanto, o ministério não deu detalhes sobre o acordo.

Maduro também está perto de fechar um novo empréstimo de 5 bilhões de dólares da China. A potência chinesa, ao longo de uma década, já investiu 50 bilhões de dólares no país.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!