O novo presidente da Caixa Econômica Federal, Paulo Guimarães, afirmou em sua cerimônia de posse, ocorrida no último dia 7, que irá avaliar o patrocínio do banco nos Futebol brasileiro. Nos últimos 7 anos, quando o banco passou a investir no esporte mais popular do país e em projetos esportivos, já foram empregados R$ 763,5 milhões, segundo informações do site Poder360.

Os clubes foram os que mais se beneficiaram do patrocínio ofertado pela Caixa. Ao todo, no período entre 2012 e 2019, 35 agremiações receberam R$ 665 milhões.

Publicidade

Os dez clubes de futebol, que no Brasil funcionam como associações sem fins lucrativos, que obtiveram contratos com maiores valores são: Flamengo (R$ 141 milhões), Corinthians (R$ 121 milhões), Vasco (R$ 50 milhões), Cruzeiro (R$ 34,8 milhões), Athletico-PR (R$ 34,4 milhões), Atlético-MG (R$ 33,5 milhões), Vitória (R$ 25,5 milhões), Sport (R$ 23,6 milhões), Santos (R$ 21,8 milhões) e Botafogo (R$ 21,4 milhões). Destes, apenas o Sport de Recife e o Botafogo carioca seguem com o contrato em vigência.

Outros beneficiários do patrocínio da Caixa

Não são apenas os clubes que recebem a ajuda financeira da estatal que não economiza no incentivo ao esporte profissional, ao todo 11 competições regionais; 2 nacionais, Campeonato Brasileiro das Séries B e C e Campeonato Brasileiro Feminino; além do Torneio Internacional de Seleções Feminino. O patrocínio a essas competições soma R$ 97,8 milhões.

A Caixa também aprovou o orçamento de R$ 538,5 milhões para comitês e confederações --o valor está além dos R$ 1,1 bilhão.

Publicidade

As entidades beneficiárias são: Confederação Brasileira de Ginástica, que recebe R$ 69 milhões; o Comitê Paraolímpico Brasileiro, com R$ 244 milhões; a Confederação Brasileira de Atletismo, que recebe R$ 194,5 milhões; a Confederação Brasileira de Ciclismo, com valor estipulado em R$ 17 milhões e a Confederação Brasileira de Lutas Associados, que recebe R$ 13,95 milhões.

O ministro da economia, Paulo Guedes, questionou o patrocínio esportivo feito pela estatal. Paulo Guimarães afirmou na cerimônia de posse que lançará um programa de controle de custos, seguindo orientações do presidente da República e do ministro de economia.

Critérios para escolha dos patrocínios

Perguntada acerca dos critérios utilizados para definição das modalidades, eventos e clubes que recebem os patrocínios e como é feito o acompanhamento do retorno financeiro, a estatal emitiu uma nota afirmando que não comentaria a respeito.

A nova gestão da Caixa afirmou que os contratos de patrocínio em 2019 estão sob análise, no entanto, o banco mantém em seu site a afirmação de que é a "maior apoiadora do futebol brasileiro".