O atraso na liberação da segunda parcela do Auxílio Emergencial tem deixado os brasileiros ainda mais ansiosos quanto a agilidade do Governo Federal em propagar o bem-estar da população que se encontra em isolamento social devido à pandemia do coronavírus (Covid-19).

O Governo Federal chegou a anunciar que a segunda parcela do benefício seria paga a partir do dia 27 de abril, mas até o momento o atraso tem deixado pessoas em todo o Brasil ainda mais preocupadas quanto ao recebimento do Auxílio Emergencial. O atraso de duas semanas ainda não foi suficiente para que o governo defina ao menos uma nova data de divulgação do novo calendário de pagamento.

Auxílio Emergencial está atrasado

Segundo Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, o planejado era que as três parcelas fossem pagas entre abril e maio, onde a primeira parcela seria paga no dia 9 de abril, a segunda entre 27 a 30 de abril e a terceira entre 26 a 29 de maio. Porém, até o momento nem todos que se cadastraram receberam sequer a primeira parcela e muitos ainda se encontram em situação de análise.

Em 20 de abril, a Caixa Econômica Federal organizou para fazer uma coletiva para o dia 23 no Palácio do Planalto com a intenção de divulgar o adiantamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial. Contudo, em 22 de abril, o Ministério da Cidadania informou através de uma nota que o Governo Federal não poderia estar adiantando o benefício devido a questões orçamentárias.

Na última quinta-feira (7), Onyx disse pretender divulgar a nova data, mas até o momento, nada foi falado sobre a segunda parcela do Auxílio Emergencial. Já o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que o Governo de Bolsonaro está finalizando o calendário de pagamento para, só, então divulgar quando poderá ser paga a segunda parcela do Benefício.

Calendário para pagamento do Auxílio Emergencial está sendo finalizado

Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o cronograma está sendo finalizado e sua pretensão é levá-lo até o presidente Jair Bolsonaro para as considerações finais. Guimarães afirmou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, já concordou com o trabalho de organização do calendário feito por Onyx e Guimarães.

As longas filas na frente dos bancos tem preocupado o Governo Federal (as aglomerações deixam o povo suscetível ao contágio do Covid-19), além dos recursos financeiros para sanar com as dificuldades da maioria da população brasileira que esta dependo do auxílio para viver dignamente frente a pandemia.

Especula-se que devido a essas questões a segunda parcela esteja mais demorada para liberação, pois espera-se que as filas diminuam, em especial, porque há muitas pessoas que ainda estão tentando sacar a primeira parcela do auxílio emergencial, conforme justificativa de Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania.

O Governo Federal, também informou que por motivos legais, orçamentários e o alto índice de cadastrados que se encontram em análise tem atrasado a liberação da segunda parcela do Auxílio Emergencial.

Para Pedro Guimarães, o ideal é que o calendário respeite as datas de pagamento do Bolsa Família e que seja liberado o auxílio emergencial, no primeiro momento, para aqueles que tem a poupança digital da Caixa. Mas, frisa que é importante que as datas não coincidam a fim de evitar mais aglomerações nas agências bancárias como tem sido visto nas últimas semanas.

Caixa cria um novo site para acompanhamento dos pedidos do Auxílio Emergencial

O Governo Federal criou um novo site, consultaauxilio.dataprev.gov.br, para que todo aquele que ainda não recebeu a primeira parcela do benefício possa estar fazendo o acompanhamento. As pessoas que tiveram o auxílio negado podem estar verificando o motivo.

De acordo com o Ministério da Cidadania, estima-se que nesta semana cerca de 17 milhões de solicitações que estão em análise, inclusive aqueles que estão em reanalise, serão concluídas.

Já aqueles que tiveram a aprovação entre os dias 23 e 30 de abril estarão recebendo a primeira parcela até o final desta semana.

A Caixa ressaltou que o fornecimento errado de dados bancários na hora do cadastro no auxílio emergencial, resultará em abertura de conta no aplicativo Caixa Tem.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!