Os beneficiários do programa social Bolsa Família que possuem cartões NIS com os finais de número 9 e 0 poderão receber o dinheiro do auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta-feira (28) e sexta-feira (29), respectivamente. Os valores são creditados automaticamente no cartão do programa, no Cartão Cidadão ou em crédito na conta-corrente, de acordo com a opção original, sem necessidade de qualquer providência com os aplicativos da Caixa Econômica.

Os possuidores de cartões com os finais 1 a 8 e que já tiveram os valores liberados também podem retirar o dinheiro imediatamente.

Critérios para receber o auxílio emergencial

Para receber o benefício relativo à ajuda para este momento de pandemia do coronavírus é necessário ser maior de 18 anos --exceto as mães--, trabalhador informal sem carteira assinada, desempregado, MEI (Microempreendedor Individual) ou contribuir individualmente para a Previdência Social.

Outro critério é ter renda familiar mensal de no máximo três salários mínimos (R$ 3.135) ou renda de cada membro de até meio salário mínimo (R$ 522,50).

Seguindo tais critérios, cada pessoa poderá ganhar R$ 600 durante três meses, ou R$ 1.200 se for mulher mãe de família, ou seja, se sustenta a casa sozinha com filhos menores de idade. Cada família pode acumular até no máximo dois benefícios, podendo totalizar R$ 1.800 por mês --caso de uma mãe de família recebendo R$ 1.200 e outro familiar com direito a R$ 600.

O pagamento dos R$ 600 ou R$ 1.200 para os beneficiários do Bolsa Família é feito automaticamente, não necessitando de nenhuma providência pelas pessoas. O valor é creditado se não for superior ao que as famílias já recebem com o programa federal.

Devido ao prolongamento da crise do coronavírus, o Governo federal já admite a hipótese de prorrogar o pagamento do auxílio emergencial por um período superior aos três meses já aprovados pelo Congresso em abril deste ano, mas com um valor provavelmente menor.

Essa possibilidade precisa passar novamente por análise do Congresso.

Governo descobriu fraudes

O governo já identificou mais de 160 mil possíveis fraudes no pagamento do auxílio emergencial, como pessoas proprietárias de veículos que custam mais de R$ 60 mil, donos de embarcações e até que doaram mais de R$ 10 mil nas últimas eleições.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!