O Palácio do Planalto informou que o Governo está preparando material impresso e audiovisual que tratará de mostrar os impactos nas contas públicas caso o auxílio emergencial permaneça no valor de R$ 600 até dezembro. Com essa medida, o governo Bolsonaro pretende conscientizar a população e assim manter a popularidade do presidente Bolsonaro em alta.

Planalto desenvolve ofensiva para evitar aumento do auxílio emergencial

Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse que 82% de suas redes sociais querem o auxílio emergencial no valor R$ 600. Mas, essa afirmativa acabou ocasionando uma irritabilidade no presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), na última quinta-feira (10).

Logo adiante Bolsonaro organizou uma ofensiva, a fim de evitar riscos de mudanças na MP (medida provisória) que reduz o benefício de R$ 600 para R$ 300 até o mês de dezembro deste ano de 2020.

Ficou então decidido o monitoramento das redes sociais de todos aqueles que compõe o parlamento brasileiro, a fim de detectar quais são os parlamentares que estão em dúvida ou que defendem o auxílio emergencial superior a R$ 300. A ofensiva escolhida é para evitar que o valor seja alterado pelo Poder Legislativo com a ajuda dos demais parlamentares que ainda não se decidiram.

Segundo a Folha de S.Paulo, o objetivo é mapear esses líderes governamentais assim procurá-los pessoalmente para justificar e reafirmar a necessidade de manter a redução do benefício em R$ 300.

Em live, Bolsonaro ressalta necessidade de reduzir o auxílio

Na última quinta-feira (10), o presidente Bolsonaro fez uma live, onde afirmou que a redução do valor do benefício é uma necessidade para evitar o crescimento dos juros, perca de confiança por parte dos investidores e se prevenir de uma possível inflação.

O presidente ainda afirmou que a sua vontade era de manter o valor, porém isso está se tornando impossível. E destacou que um dos motivos do aumento no preço da saca do arroz foi pressionado pelo auxílio emergencial, onde o produto teve uma alta de 19% e possivelmente continua a aumentar chegando a R$ 30 (arroz de 5 quilos), segundo especialistas.

Auxílio Emergencial de R$ 600 alavancou a popularidade de Bolsonaro

No início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a equipe econômica do governo Bolsonaro lançou o benefício de R$ 600 para famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza e extrema pobreza a fim de, ajudar financeiramente aqueles que ficaram impossibilitados de realizar suas atividades trabalhistas por conta do isolamento e outros fatores.

A popularidade do presidente subiu, contudo a redução do valor do pagamento pode afetar essa posição apesar de insistir justificando que manter o valor de R$ 600 aumentará o endividamento do país.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!