Nesta quarta-feira (23), o Ministério da Economia divulgou dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) que mostram que o Brasil criou 414.556 empregos com carteira assinada no mês de novembro. Este é o melhor resultado da série histórica, iniciada em 1992.

Os dados dão novo ânimo para a equipe econômica formada pelo ministro Paulo Guedes. O Governo de Jair Bolsonaro está confiante e almeja que em 2021 os empregos voltem a acontecer normalmente após a vacinação em massa contra a Covid-19.

Coronavírus: demissões e contratações

Ainda segundo os dados do Caged, o estoque de empregos formais no país ficou em 39.036.648, representando uma variação de 1,07% quando comparado ao mês anterior, semelhante a novembro de 2019, quando os vínculos empregatícios chegaram a 39.358.772.

Durante os onze meses que se passaram, 227,025 empregos foram gerados com carteira assinada. No mesmo período do ano de 2019 foram registradas 948.344 contratações a mais do que demissões.

De julho a novembro, o número de postos de trabalho formais criados foi de 1,499 milhão. Apesar de ser o quinto mês seguido de geração de emprego, a economia ainda não recuperou as perdas da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que provocou o fechamento de mais de 1,612 milhão de Vagas em todo o território brasileiro.

O ministro Paulo Guedes afirmou que os dados do Caged trazem esperança de que a economia tende a recuperar, em especial, quando houver a vacinação em massa contra o coronavírus. Na visão de Guedes, a vacina irá salvar vidas e garantirá o retorno ao trabalho de forma segura, pois o resultado reafirma a retomada do crescimento econômico após uma das fases mais críticas do Brasil, onde a pandemia do coronavírus (Covid-19) atingiu e impactou a economia no segundo trimestre do ano.

Novas expectativas de crescimento econômico frente à pandemia

De acordo com Bruno Bianco, secretário da Previdência e Trabalho, os dados da Caged pode surpreender em dezembro devido às iniciativas de manutenção dos trabalhadores e assim é provável a existência de um saldo positivo para o mês de dezembro, mas ressaltou que não criará expectativas e se aterá apenas aos dados.

Isso porque é provável a contratação de funcionários temporários, o que surtirá efeito na retomada da economia, devido à forte demanda nos contratos dos temporários, elevando assim o percentual, disse Bruno Dalcomo, secretário de Trabalho do Ministério da Economia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!