Crianças são na sua naturalidade agitadas, curiosas e desastradas, pois ainda estão no processo de formação física, motora e cognitiva. Por isso, é de extrema importância observar tanto na Escola quanto em casa, se a criança está dentro dos padrões da sua faixa etária, ou, se realmente sofre de algum distúrbio de aprendizado. Algumas palavras têm se tornado rótulos infantis para solucionar o possível problema da criança, tais como: desatenção, hiperatividade, a famosa sigla TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade).

Contudo, ao se observar qualquer tipo de dificuldade na criança, relacionada ao aprendizado, esta deve ser encaminhada a um profissional competente para que uma série de testes e exames sejam feitos, para então o diagnóstico exato ser dado. Só assim, um tratamento adequado pode ser feito com esta criança e seu "problema" ou dificuldade receber um nome (desatenção, hiperatividade, ou preguiça, por que não?).

Em alguns casos influências externas, como família, círculo de amizades, entre outros, podem afetar o processo de ensino e aprendizado da criança, da mesma forma como o seu emocional e o seu rendimento escolar.

Estes fatores externos podem ser desde a separação de pais, falta de carinho à falta de alimentação em casa, por exemplo. É muito comum fatores externos influenciarem diretamente o emocional, psicológico e então o desenvolvimento da criança na escola.

Por estes e outros diversos fatores é essencial que quando a criança apresente algum tipo de problema no seu processo de aprendizado, especialistas sejam procurados para que testes e exames sejam feitos, em busca do diagnóstico exato. Só assim, um tratamento adequado e uma denominação correta, como hiperatividade, ou dislexia, podem ser dados ao distúrbio da criança, a fim de ajudá-la na sua formação cognitiva e no seu processo de desenvolvimento escolar.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Educação Escola

Concluindo, deixemos de lado os modismos de dizer que a criança é hiperativa, desatenta, ou disléxica e procuremos especialistas da área que saibam diagnosticar o verdadeiro problema que a criança enfrenta.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo