O Ministério da Educação (MEC) decidiu por limitar a quantidade de vezes que o candidato poderá usar o benefício da isenção de taxas no Exame Nacional do Ensino Médio. Agora o candidato que usar do benefício por três vezes, terá que pagar a taxa na quarta vez.

Outra medida tomada, foi o fim do Certificado do Ensino Médio, que será substituído pelo Exame Nacional para Certificação de Competências De Jovens e Adultos (Encceja), desativado até então.

Segundo o MEC, dos 990 mil candidatos que se inscreveram para tirar o Certificado, apenas 7% alçaram a aprovação. Para os estudantes do primeiro e segundo ano do Ensino Médio, que usavam o Enem para "treinar", também haverá mudanças. Os alunos não poderão mais usar o Enem como teste, segundo a Secretária executiva do Inep, Maria Helena Guimarães de Castro. A opção será um simulado específicos, com base na prova do Enem, para esses estudantes.

O principal objetivo dessas mudanças é deixar a prova mais barata. De acordo com o MEC, os custos do exame, somente esse ano, chegaram a R$ 650 milhões, valores esses que incluem os "treineiros" - foram mais de 1 milhão inscritos, e os que buscavam o Certificado do Ensino Médio.

Enem 2016

Em decorrência das ocupações em 430 escolas, mais de 270 mil candidatos terão que fazer o exame nos dias 3 e 4 de dezembro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação

As escolas estavam ocupadas em protesto contra a PEC 55, antiga 241, que congela os gastos públicos por 20 anos, para que as despesas não ultrapassem a inflação.

A notícia da adiamento da prova para uma parte dos candidatos gerou grande insatisfação nas redes sociais, por parte dos estudantes e familiares, que se sentiram prejudicados com a mudança. Porém, de acordo com professores entrevistados no G1, o único diferencial poderia ser o tema da redação, já que não possui a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI).

O Enem, que teve como tema da redação na primeira aplicação, o "Combate a Intolerância Religiosa", já disponibilizou os locais de prova da segunda aplicação do exame, que pode ser consultada na página do Enem-Inep e pelo aplicativo do Enem.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo