Será que há uma idade para estudar? Inúmeras pessoas já mostraram que não. Existe o caso de uma senhora que se formou em Direito após os 70 anos, uma costureira que se formou em moda após os 50 e tantos outros casos. Dona Marília, de 52 anos de idade, mais uma a entrar para as estatísticas de que a idade não é nada, quando se tem um sonho.

Vanderson Nascimento, filho de Marília, conta que a mãe teve uma infância muito triste e pobre e que só conseguiu estudar até o segundo ano do ensino fundamental.

Recentemente, ela pediu para o filho matriculá-la em uma escola de alfabetização. Ele não pensou duas vezes e fez a matricula da mãe em uma escola municipal de uma comunidade carioca.

Matricula efetivada, era só aguardar o dia de começar a estudar. Todo orgulhoso, Vanderson publicou no Facebook a foto dele acompanhando a mãe no primeiro dia de aula, na segunda-feira, 13.

Vanderson está feliz por poder realizar esse simples sonho de sua mãe. Dona Marília mostra que nunca é tarde para aprender e, mesmo sem dizer nada, sua força de vontade se torna uma lição para muito estudante que tem deixado as oportunidades passarem.

Veja a publicação Viral de Vanderson, que já conta com mais de 42 mil curtidas e 16 mil compartilhamentos:

Um novo tempo para a terceira idade

No mês passado, o mundo conheceu mais uma história de pessoas cheias de vontade de aprender, como a dona Marília. Trata-se da dona Amy Craton, que tem 94 anos de idade e se formou na faculdade com nota máxima. Amy, que mora no estado americano do Havaí, fez um curso superior à distância de Escrita Criativa, com duração de dois anos e meio, e conseguiu obter o seu diploma.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Curiosidades Educação

Por conta de suas limitações físicas, ela não pôde ir à formatura, mas recebeu em sua casa o diploma. Sentada em uma cadeira de rodas, ela ficou muito feliz ao realizar o seu sonho.

Amy abandou os estudos em 1962, quando se divorciou e se viu obrigada a correr contra o tempo para trabalhar e sustentar os quatro filhos. Ela contou à revista People: “Sempre tive o sonho de estudar, mas, a vida se meteu pelo caminho”.

O que você achou dessas histórias de perseverança em busca da realização de sonhos? Compartilhe a sua opinião com um comentário.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo