Inclusão significa participar de algo, fazer parte, compreender, e é exatamente assim que funciona em relação ao tratarmento social do autista, ou seja, necessário compreender suas dificuldades, e ao mesmo tempo permitir que ele participe do convívio social, tratando com os mesmos direitos e respeito.

O primeiro passo para a inclusão do autista acontece dentro da própria família, pois é através dela que aprendemos quando criança como devemos nos comportar e qual nosso papel na sociedade.

No processo de inclusão, a família deve ter metas, ser persistente, ter ajuda de um psicoterapeuta, ter regras bem claras para evitar estresse da criança, e acima de tudo ter bom senso para saber o momento em que se pode permitir algo.

As crianças com Autismo precisam ser estimuladas e isto deve ocorrer em todas as situações do dia a dia, precisam frequentar locais públicos, em contrapartida os pais devem comemorar cada conquista, agir sempre com muito amor, carinho, confiança e acreditar que elas são capazes de aprender.

Entenda o que é autismo

O autismo ou Transtorno do Espectro Autista é um distúrbio com diferentes níveis, pois para o diagnóstico não necessariamente os pacientes apresentam os mesmos sintomas. O diagnóstico deve ser realizado por um profissional, e não existem medicamentos específicos para o tratamento.

Entretanto, existem comportamentos que são considerados mais comuns como: a interação social, ou seja no modo de se relacionar, a dificuldade de comunicação, e a questão comportamental, onde os autistas podem ter ações repetitivas e qualquer mudança na rotina incomoda.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação

Outras características também são muito comuns nos autistas como: a solidão evidente, a fascinação ou desinteresse, ausência de sorriso, repetição de frases, preocupação e afeição, pouca sensibilidade sensorial, agressão.

Sobre a Lei 12.764/2012

Embora no Brasil existam muitas diretrizes gerais de inclusão ao autista, foi criada a Lei nº 12.764/2012 que estabelece uma política nacional de proteção aos direitos da pessoa com autismo, onde os autistas passar oficialmente a ser considerados como pessoas com deficiência.

Dentre os direitos, o autista passa a ser beneficiado com as politicas de inclusão, dentre as quais estão à educação, onde poderá estudar em escolas regulares de Ensino Fundamental e Médio, públicas e particulares, e ainda caso seja necessário, poderão ter um acompanhante especializado.

Como efetuar essa integração do autista na escola?

A inclusão do autista não é uma tarefa simples, e não se tornará realidade apenas com a criação de uma lei, pois existe falta de conhecimento sobre o assunto, e uma dificuldade para lidar com as diversidades.

Primeiramente, é preciso compreender que não existe um plano rígido a ser aplicado, é preciso observar o autista para estabelecer quais metas serão usadas para possibilitar a sua escolarização.

Também se faz necessário a capacitação dos professores, e toda a rede de ensino precisa estar integrada para compreender que o aluno autista precisa de informações de maneira diferente.

Cada autista deve ser tratado em sua individualidade e singularidade, e para isto a escola tem que traçar estratégias diferenciadas para lidar com cada um de maneira diferente, atuando todos em conjunto, inclusive os pais, possibilitando que a escola se torne uma escola inclusiva.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo