Não é preciso muito esforço intelectual para perceber que o mercado de trabalho mudou e ele se impõe ao exigir um novo perfil de profissional: aquele que está em constante mudança. Por outro lado, se tudo está mudando, porque passar quatro, cinco ou seis anos estudando? Que profissão seguir?

No Brasil, nas décadas de 70 e 80, por exemplo, uma pessoa escolhia uma profissão e nela seguia pelo resto da vida. Atualmente, esse #Perfil profissional foi deixado de lado, ou seja, ele já não mais existe. O profissional de hoje precisa ser multifuncional, ter habilidade para trabalhar em equipe e ter uma série de atitudes resultantes de uma vivência ética.

A ética é um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana na sociedade. Ele serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado. Neste sentido, a ética, embora não possa ser confundida com as leis, está relacionada com o sentimento de justiça social.

Hoje, mais do que em qualquer época, por estamos diante de um cenário globalizado, é fundamental a promoção de atitudes que privilegiem valores éticos. Como o trabalho é a atividade mais expressiva da pessoa humana, a ética social tornou-se uma das exigências de “sobrevivência” profissional. Portanto, pessoas ou organizações que adotam a ética no seu dia-a-dia conseguem atingir melhores resultados.

A fonte da ética é a própria realidade humana, o ambiente em que se vive.

Os melhores vídeos do dia

Desta forma, o ambiente de trabalho, no qual se convive grande parte do dia, se desenvolve em uma sucessão de escolhas para tomadas de decisões e de práticas de virtudes, que nada mais são do que os valores transformados em ação. Portanto, a ética é a filosofia posta em prática. É o agir consciente do sujeito. Enfim, o campo de atuação da conduta humana.

Num cenário de profundas mudanças, tanto em nível econômico, ambiental e comportamental, que valores são imprescindíveis no mundo do trabalho? Ou seja, que competências, capacidades e habilidades são essenciais na formação do profissional do século XXI?

Do ponto de vista pessoal, consideramos à integridade e coerência, flexibilidade, autoconfiança e autoconhecimento, intuição, capacidade crítica, iniciativa, compreensão interpessoal e empatia, capacidade de liderança e autocontrole das emoções como valores fundamentais no processo de realização pessoal e profissional de muitos trabalhadores.

Do ponto de vista institucional, o conceito de responsabilidade social [VIDEO] como forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona, tornou-se solução viável para a sustentabilidade econômica e ambiental do Planeta.

Ou seja, não é mais o lucro pelo lucro que importa e sim o legado que se quer deixar para as futuras gerações.

Enfim, o #Mercado de Trabalho atual exige do colaborador capacidade de gerar resultados, de se identificar com os valores da empresa, liderança natural, inteligência emocional, trabalho em equipe e autogestão do conhecimento. O profissional que conseguir unir todas essas habilidades terá sucesso profissional garantido para todo o sempre, assim como eram as profissões antigamente. #Responsabilidade social