Uma das grandes dúvidas no momento de escolher a profissão é se ela trará o retorno financeiro esperado depois do tempo de permanência na universidade. Por essa razão, é importante conhecer a média salarial [VIDEO] das profissões de destaque do país, para que o estudante tenha esse parâmetro como análise de escolha do curso de graduação [VIDEO].

Para auxiliar nessa etapa, será apresentado nesse artigo, as áreas de atuação das principais profissões, tempo de estudos e média salarial de cada uma delas.

1- Administrador de empresas

O Curso de Administração é um dos mais tradicionais e é bastante procurado, pois permite uma carreira multidisciplinar.

Durante a graduação, o estudante adquire sólidos conhecimentos em Finanças, Economia, Estatística, Matemática e Psicologia. O curso forma profissionais para gerenciar muitas áreas, como: marketing, produção, recursos humanos, serviços e finanças.

Uma formação em bacharelado dura em média 4 anos. Já na modalidade de tecnólogo, a duração é de 2 anos e meio.

Com relação à média salarial, o Conselho Federal de Administração (CFA) formaliza os seguintes valores para os profissionais da área: R$ 2.458,00 para profissionais em início de carreira e R$ 5.977,00 para profissionais com mais de 2 anos de experiência.

2- Advogado

A área de Direito cuida da aplicação de normas jurídicas do país, com o objetivo de organizar as relações entre as pessoas e os grupos da sociedade. É preciso muita leitura dos códigos civis e tributários e o curso tem duração média de 5 anos.

Não há um piso salarial nacional para os advogados, dessa forma, a referência pode ter como base os acordos sindicais dos estados. Nesse caso, o Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro normaliza um salário mínimo mensal de R$ 2.600,00 para profissionais empregados em Sociedades de Advogados com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

3- Arquiteto

A arquitetura é outra área bastante procurada entre as profissões, pois permite trabalhar em diferentes segmentos do mercado. Para fazer essa graduação, o estudante precisa gostar de desenho, arte, história e matemática.

O arquiteto é responsável por planejar e organizar os espaços internos e externos onde as pessoas frequentam. Ele precisa tornar o projeto arquitetônico funcional, confortável e bonito sem agredir o meio ambiente.

O curso de Arquitetura tem duração de 4 anos e na maioria das vezes é realizado em meio período.

Com relação ao salário mínimo, segundo a Lei 4.950-A/66 de 1966, que regulamenta a remuneração da profissão, o piso salarial nacional é de R$ 4.728,00 para uma jornada de 6 horas diárias.

4- Contador

A contabilidade é uma das áreas profissionais com a maior taxa de ocupação do Brasil. Trata-se de uma profissão que exige muita responsabilidade e atenção, pois atua nas questões financeiras, econômicas, tributárias e patrimoniais de uma organização.

Para ser um contador é preciso cursar em média 4 anos de graduação em Ciências Contábeis e obter o registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

Os profissionais da contabilidade não têm um piso salarial único nacional. Varia de acordo com o setor e a região onde atua, o sindicato e sua formação (técnico ou graduação). Como exemplo, pode-se levar em consideração a média salarial do estado Rio de Janeiro que fica em torno de R$ 2.432,00.

5- Engenheiro de Produção

Esse ramo da engenharia aborda conteúdos focados na administração e gestão de produtos, processos e serviços. O profissional alia conhecimentos da engenharia, administração e economia para desenvolver melhorias nos sistemas de produção. A graduação foca na multidisciplinariedade e na formação generalista.

O curso dura 5 anos, abordando no início disciplinas comuns das áreas de exatas, como matemática, física e química. Depois começam as abordagens específicas da área.

O salário mínimo inicial de um engenheiro de produção fica em torno de R$ 4.728,00 para a carga horária de 30 horas semanais.

Para escolher uma profissão é preciso analisar muitos detalhes que vão influenciar na futura carreira. A média salarial de cada área profissional é apenas um dos parâmetros a ser considerado, pois não adianta ter um alto salário se você não tiver a vocação e o interesse na atuação em uma determinada área.