Depois do MEC anunciar que o resultado do ENEM 2017 será no dia 18 e não dia 19 conforme planejado anteriormente, a instituição de ensino divulgou alguns detalhes do exame do ano passado.

Os dados divulgados revelam que, jovens do sexo masculino se saíram melhores do que de gênero feminino, principalmente se comparadas com o grau de importância de cada área como Matemática e Ciências da Natureza, entretanto as moças compõem a maioria que fez o exame.

Escola particular e a renda alta ainda são unânimes

O preparo das escolas particulares ainda contrasta com a realidade das escolas públicas e municipais. O interesse dos alunos e os fatores socioeconômicos preocupam com o desenvolvimento do saber e principalmente na hora de resolver questões fáceis, médias e difíceis como são apresentadas ao longo de todo ENEM.

A renda per capita ajuda para os estudantes se prepararem ao longo do ano com os famosos cursinhos nos pré-vestibulares em questão. Foram desconsiderados dessa análise, os treineiros e os que zeraram alguma área específica, sendo no total de 4,8 milhões de concorrentes.

Garotos brancos superam garotas brancas

Neste dado em que foi apresentado, na área de Matemática os estudantes brancos foram melhores avaliados em cerca de 52 pontos quando comparados as moças brancas. Se equiparado com meninas negras o resultado ainda é mais expressivo, próximo de 81 pontos na análise feita.

A superioridade masculina, também é observada em Ciências da Natureza em cerca de 24,3 pontos a mais do que as mulheres. O desempenho de modo geral, é semelhante com os exames analisados de 2014 e 2015.

Embora sejam a maior parte das pessoas que realizaram o exame, as meninas de modo geral não conseguiram um desempenho tão satisfatório quanto aos meninos em questão.

Uma das explicações que podem ser utilizadas, são pelo fato da opressão dada pelos pais e principalmente pelo modo de falar e se expressar de maneira fluente para que seja aceita na nossa sociedade. A colocação na família também resulta no desenvolvimento ou não da mulher, quanto mais inibida for menos vontade de estudar e de se formar em alguma profissão.

Os pais exigem mais da mulher perante aos estudos do que os homens em questão. O desejo e a pressão acumulada por parte dos pais, transforma o jeito de estudar, além de serem mais apegadas na opinião da família, determinando o sucesso ou o fracasso do exame realizado. #estudante #ENEM