O Enem [VIDEO] (Exame Nacional do Ensino Médio) é um vestibular que coloca em jogo o futuro de, praticamente, todo jovem brasileiro. Trata-se de uma prova complexa, com tamanha importância que é motivo de depressão, caos e estresse em muitos estudantes.

Contudo, o #ENEM atual será drasticamente reformulado em função da reforma do Ensino Médio aprovada pelo presidente Michel Temer (PMDB). No entanto, só serão prejudicados os vestibulandos de 2019, pois as alterações só ocorrerão nesse ano.

Como é o Enem atual

Atualmente a prova do Enem é dividida em quatro áreas do conhecimento - ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; linguagens e matemática e suas tecnologias - onde são direcionadas 45 questões para cada área, além de uma redação com bastante peso sobre a média final.

A execução da prova atual é dividida sobre dois domingos, sendo o primeiro destinado a linguagens, ciências humanas e suas tecnologias e a tão temida redação, sobrando as matérias correspondentes as ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias para o segundo domingo. São destinadas 5 horas e 30 minutos para o primeiro dia de prova, e 4 horas e 30 minutos para o segundo.

Reforma do Ensino Médio

A reforma do Enem implicará em algumas mudanças radicais, como a possibilidade de o aluno escolher uma área do conhecimento para direcionar seus estudos. Além disso, algumas matérias serão opcionais, deixando para o estudante a possibilidade de simplesmente remover a disciplina da grade curricular. Além de mudanças quanto ao conteúdo, a carga horária também será alterada.

No entanto, esse tópico em particular não será suficiente para afetar a prova do Enem.

Por que a reforma vai afetar o Enem?

Basicamente, com a possibilidade de escolha de adesão ou rejeição seletiva de disciplinas direcionadas ao aluno, a prova do Enem (Exame Nacional Do Ensino Médio), bem como ela funciona atualmente - direcionando um número equivalente de questões para cada área do conhecimento -, se tornará bastante injusta.

Exemplificando: um aluno que optou por exatas terá a seu favor metade de todas as questões (45 de ciências da natureza e suas tecnologias, mais 45 de matemática e suas tecnologias). Sobretudo, um aluno que optou por humanas e suas tecnologias não terá a mesma vantagem, baseando-se no fato de que são direcionadas apenas 45 questões (um quarto da prova) para essa área do conhecimento. #mudança