4

A realidade do nosso Brasil de hoje tem despertado em muitos a ânsia de uma vida mais feliz e estável [VIDEO], em que estados como violência, recessão econômica e falta de respeito para com os direitos de cidadania são tão raros ou inexistentes como as estrelas de um amanhecer. Estamos falando da oportunidade de mudar para uma das localidades a seguir e fazer parte da felicidade dos cidadãos que lá vivem. Se não sabe por onde começar, aqui estão as dicas; tanto no que se refere aos aspectos educação, economia e qualidade de vida.

Que tal começarmos por um dos lugares mais felizes do mundo?

São pouco mais de 5 milhões os habitantes da Noruega, os quais desfrutam o primeiro lugar do mundo em qualidade de vida e isso já vai além de 10 anos.

Longevidade, índice de criminalidade quase inexistente: igualdade social; educação, entre outras benesses. Profissionais estrangeiros são bem vindos na Noruega e as pequenas taxas cobradas pelas universidades públicas são um chamariz para os candidatos a intercâmbio.

Na Austrália, sinta-se no Brasil

A Austrália é um dos destinos mais hospitaleiros da Oceania por conta das tantas facilidades e oportunidades que oferece aos estrangeiros. Veja algumas delas. A começar pelo clima; as similaridades com as nossas temperaturas e estações do ano derrubam de vez os receios dos que não se adaptam a diferentes climas. Por estar, como nós, no hemisfério sul e também entre os países mais felizes do mundo, quem vive lá não quer sair. Além disso, as oportunidades de estudar inglês e de trabalhar legalmente por 20 horas semanais, além da economia que não se abala há mais de 25 anos fazem da Austrália um destino imperdível.

Os melhores vídeos do dia

Quer ganhar bem? Vem para cá!

A Suíça está entre os cinco países mais atrativos para se viver devido, entre outras coisas, aos altos salários pagos a toda sua população profissional. Imagina receber anualmente o equivalente a R$ 600.000,00. É isso mesmo! São quase U$ 200.000,00 por ano, o que prova como esse país reconhece quem vive e trabalha em prol da nação. Viver em cidades grandes como Zurique ou Genebra, de alto custo de vida não representa problema, pois a grana que se ganha ali não é para qualquer país, não. É o dobro da média salarial do resto do mundo. E se você, além do inglês é bom num desses idiomas: alemão, francês ou italiano, vai ser muito fácil viver na Suíça, país lindo e elegante.

País enorme e oportunidades também

O Canadá é conhecido como “a galinha dos ovos de ouro” no meio da América do Norte. Sua política de imigração é muito mais acessível do que as rigorosas sanções que Donald Trump vem impondo nos Estados Unidos. A cultura é diversificada. As oportunidades de crescimento vêm atraindo o estrangeiro.

Continua integrando os rankings dos melhores destinos, principalmente por suas famosas universidades [VIDEO] como a University of British Columbia, University of Toronto e McGill University. Vale a pena viver no Canadá por sua alta qualidade de vida. Só tem que se adaptar ao frio rigoroso que não perdoa.

Mais um no nosso hemisfério

Por fim a Nova Zelândia. Esse país incentiva o intercâmbio. Seu povo, os neozelandeses, é amável e educado. Fala o Inglês; adora dividir sua cultura com o estrangeiro. Há cursos com duração de 14 semanas e empregos oficiais com carga horária também de 20 horas semanais, como na Austrália. E sem falar no clima maravilhoso, com longos dias de sol no verão. E então, por qual destino se decidiu?