No dia do aniversário do Papa Francisco, seu torcedor mais ilustre, o San Lorenzo teve muito trabalho para conquistar o direito de decidir o Mundial de Clubes da FIFA, ao vencer o Auckland City, da Nova Zelândia por 2 x 1 (1 x 1 no tempo normal) no Marrocos, com gols de Barrientos e Matos - Berlanga marcou o gol neo-zelandês. A equipe argentina terá pela frente o Real Madrid, que na última terça-feira venceu o Cruz Azul, do México, pelo placar de 4 x 0.

As equipes se enfrentam no próximo sábado, às 17h30 para decidir quem será o novo campeão mundial.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

O time de Cristiano Ronaldo, recheado de estrelas, entra como favorito na busca de seu 4º título (conquistou a antiga Copa Intercontinental de Clubes em 1960, 1998 e 2002), enquanto os argentinos correm atrás de uma conquista inédita em seus 106 anos de história.

Dificuldades em um primeiro tempo sem grandes emoções

O San Lorenzo, bastante modificado em relação ao time que venceu a Taça Libertadores da América há alguns meses, entrou em campo nesta quarta-feira com o desafio de se impor diante do Auckland, credenciado como a grande surpresa da competição, após derrotar nos pênaltis o Moghreb, representante do país sede, e o Sétif, da Argélia, por 1 x 0 nas quartas-de-final. Logo nos primeiros minutos, ficaram evidentes as dificuldades que os argentinos encontrariam, já que seu adversário equilibrou o jogo com personalidade e bom toque de bola. Assim, apenas aos 20 minutos o time conseguiria chegar com algum perigo, em chute cruzado do uruguaio Cauteruccio, para grande defesa do goleiro Willians. Fora isso, só tentativas de bola parada, sem sucesso.

Os melhores vídeos do dia

O jogo ameaçou esquentar aos 39 minutos, com uma falta mais forte de Kannemann, do San Lorenzo, que resultou em cartão amarelo e um princípio de confusão entre os jogadores. Já nos acréscimos do primeiro tempo, os argentinos conseguiram abrir o placar em uma jogada muito bem trabalhada pela esquerda. Após troca de passes, Más encontrou Barrientos, que bateu firme e abriu o placar.

E a zebra apareceu na segunda etapa

Apesar da desvantagem, o Auckland manteve seu estilo de jogo, segurando a posse de bola. Graças às seguidas desatenções dos argentinos, o gol de empate foi amadurecendo, até que aos 21 minutos, após troca de passes, Berlanga, quase sem ângulo, marcou.

O San Lorenzo tentou impor seu Futebol e colocou no jogo o craque Romagnoli, poupado por retornar de contusão. Apesar de Caltenuccio quase marcar um gol antológico ao acertar a trave, após aplicar um chapéu no zagueiro e emendar de esquerda, o Auckland se manteve firme e quase virou logo na sequência em um contra-ataque fulminante, que Tade não conseguiu aproveitar.

O jogo, que parecia fácil, ganhara contornos dramáticos para o San Lorenzo.

Alívio e comemoração

No começo da inesperada prorrogação, o San Lorenzo finalmente conseguiu um pouco de alívio. Logo aos 2 minutos, após lançamento na área de Romagnoli, a sobra acabou ficando com Matos, que encheu o pé para marcar o gol da vitória. Precisando sair, o Auckland acabou abrindo espaço para os contra-ataques, quase levando o terceiro gol.

A equipe da Nova Zelândia passou a apostar nas jogadas aéreas, e ainda teve forças para acertar uma bola na trave, já no segundo tempo, com Payne, aproveitando a sobra de uma cobrança de falta. Mas o San Lorenzo conseguiu manter o resultado e segue em busca do título de campeão mundial de clubes.