O Futebol sempre foi umapaixão nacional, mesmo após alguns fracassos dos últimos anos, principalmente da Seleção Brasileira. Mas nãose está aqui para falar em fracasso, pelo contrário, o personagem do qual se fala em nada tem a ver com derrota, na verdade é um símbolo devitória e lealdade esportiva: Rogério Ceni, para os torcedores do São Paulo, omito.

Seu currículo conta com diversos CampeonatosPaulistas, Copas Libertadores da América, Campeonato Mundial e Copa do Mundo,além de diversos torneios.

Uma carreira vitoriosa que se aproxima do adeus,para a tristeza do futebol.

Durante o ano de 2014, emdiversas entrevistas, Rogério teve que responder sobre o fim da carreira que seestende até o momento. Afirmou que jogaria o Campeonato Paulista de 2015 que seestendeu para a Copa Libertadores da América, na qual o tricolor caiu diante doCruzeiro, não sem antes " O Mito" deixar, mais uma vez, sua marca: umgol de pênalti, naquele que foi sua maior "vítima" no futebol: o bomgoleiro Fábio.

Com a eliminação nacompetição continental, paira a dúvida nos torcedores: vai aposentar?

Espera-sever Ceni, aos 42 anos, em plena forma e jogando em alto nível nos gramadosbrasileiros. Sabe-se que os ídolos do futebol têm carreiras curtas, todosparam. Foi assim para o Pelé, Romário, Zico, Sócrates e será para Ceni que teráseu nome gravado com louvor na história do esporte nacional.

2015 é o ano das despedidasentre ícones e seus clubes. Didier Drogba se despede do Chelsea, Gerrard doLiverpool, Xavi do Barcelona e Rogério do São Paulo. 

É inevitável que arenovação aconteça, o futebol prioriza cada vez mais a força do que dahabilidade, vai aposentando os mais velhos e recrutando os mais novos, cheiosde vontade por um espaço.

Mas uma pergunta paira no ar: haverá suplentes da mesmaqualidade dos que estão pendurando as chuteiras? A nossa seleção nacionalmostra que não. Jogadores milionários, com um futebol mediano. Contas bancáriascheias e galerias de troféus vazias. E viva o capitalismo, que conseguiu deteriorara paixão nacional.

Rogério Ceni, nosso personagem, foi exemplo de amor ededicação ao esporte, mais de vinte anos no mesmo clube.

Não se rendeu aodinheiro, preferiu o amor e a dedicação ao time e aos torcedores.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!