No final de 2012, o argentino Jorge Sampaoli assumiu o comando técnico da seleção chilena em substituição a Claudio Borghi, de desempenho questionado por imprensa e torcida, que já colocava em dúvida a classificação da Roja à Copa de 2014 diante da péssima classificação na metade das Eliminatórias. Com Sampaoli, foram cinco vitórias, um empate e uma derrota nos últimos sete duelos pela classificatória e passaporte carimbado para o Brasil.

Antes disso, os anos de Sampaoli foram um misto de estudo, preparo e idolatria por seu maior mentor: Marcelo Bielsa. Ofensivista ao extremo, Bielsa ganhou um fã pela sua forma de armar as equipes e entender o jogo de Futebol.

Durante o período em que comandou a seleção argentina (1998-2004), El Loco era monitorado de perto por Sampaoli, que fazia questão de ir aos treinamentos do time em Ezeiza e assistir suas entrevistas coletivas.

O estilo de jogo defendido por Bielsa é visto nos times de Sampaoli, sobretudo na atual seleção chilena, com jogadores leves e dinâmicos a partir do meio campo, saída de bola rápida, marcação pressão e intensidade nos 90 minutos. Depois de cinco anos de trabalho no Peru, Jorge Sampaoli construía suas primeiras raízes com o Chile ao ser convidado para treinar o O'Higgins de Rancagua no final de 2007.

Foram duas boas temporadas, com direito a terceiro lugar no campeonato nacional. Porém, um início desanimador em 2009 culminou com sua saída do clube. As portas se abriam em outro país.

Os melhores vídeos do dia

Sem técnico, o equatoriano Emelec fez o convite e Sampaoli aceitou, sagrando-se vice-campeão nacional.

A nova boa campanha do treinador despertou o interesse de outro chileno, dessa vez um gigante, a Universidad de Chile. Nela, Sampaoli chamou para si os holofotes do mundo inteiro, com um estilo de jogo agressivamente ofensivo que sustentou três títulos consecutivos do campeonato chileno e a Sulamericana de 2011.

Pela LaU, Sampaoli trabalhava pela primeira vez com jogadores como Jonnhy Herrera, Rojas, Mena, Marcelo Díaz, Aránguiz e Vargas, todos eles campeões da América do Sul pelo Chile ao lado do antigo comandante.